Polícia

Polícia diz que homem que arrastou cachorro amarrado a Belina não será punido

Segundo o motorista, um pastor de 54 anos, o cachorro já estava morto 

Diego Alves Publicado em 29/12/2014, às 23h48

None
cachorro.jpg

Segundo o motorista, um pastor de 54 anos, o cachorro já estava morto 

O proprietário da Belina amarela, que foi fotografado arrastando um cachorro que estava amarrado ao para-choque, prestou depoimento, na tarde desta segunda-feira (29), e não vai responder por crime ambiental.

O fato ocorreu no último domingo (28) em Naviraí, a 363 quilômetros de Campo Grande, e revoltou moradores da cidade.

Segundo o motorista, um pastor de 54 anos, o cachorro já estava morto por ter contraído parvovirose. O bicho passava por tratamento, mas não resistiu e teria morrido no último domingo.

Desta forma, de acordo com a Polícia Civil de Naviraí, não é possível enquadrar o motorista no artigo 32, da Lei 9.605/98 (que trata sobre crimes ambientais), e enquadrá-lo como maus tratos.

O pastor alegou, ainda, que amarrou, com uma corda, o animal no para-choque do carro por ter um problema na coluna. Por isso, ele não teria conseguido colocar o cão dentro do carro.

O caso causou grande repercussão nas redes sociais e revoltou moradores de Naviraí e de outras cidades sul-mato-grossenses.

Jornal Midiamax