Polícia

Polícia desmonta esquema de funcionários que fraudavam entrega de leite em laticínio

Dois funcionários de um laticínio, localizado na BR-262, em Terenos, a 28 quilômetros de Campo Grande, foram identificados pela Polícia Civil, como responsáveis por uma fraude, que dava prejuízo de R$ 5 mil a um laticínio, em cada entrega de leite. De acordo com a Polícia Civil, a dupla foi presa pelo crime de estelionato, […]

Arquivo Publicado em 11/09/2014, às 18h13

None

Dois funcionários de um laticínio, localizado na BR-262, em Terenos, a 28 quilômetros de Campo Grande, foram identificados pela Polícia Civil, como responsáveis por uma fraude, que dava prejuízo de R$ 5 mil a um laticínio, em cada entrega de leite. De acordo com a Polícia Civil, a dupla foi presa pelo crime de estelionato, mas acabou sendo solta pela Justiça e vai responder pelo crime em liberdade.


Participavam do esquema, o funcionário, Fábio Martins da Rocha, de 27 anos e o motorista do caminhão que fazia a entrega do leite, José Carlos Pereira França, 41 anos. O esquema foi descoberto pela Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar.


A fraude consistia em entregar um dos três tanques do caminhão cheio de água e não de leite. O funcionário da empresa que recebia a carga pesava o caminhão como se estivesse carregado de leite e encaminhava ao laboratório amostras de apenas um dos tanques.


De acordo com o delegado Reginaldo Salomão, o caminhão era pesado na entrada e na saída da empresa. Com após a resposta positiva para descarga, eles descarregavam os dois tanques com leite e também o tanque com água. Cada tanque já possui uma saída para água que é para fazer a limpeza do tanque. A empresa então acreditava que a água que saía era a da higienização, mas na verdade, era o tanque que havia sido carregado com água para enganar o laticínio.


No dia do flagrante, o prejuízo da empresa foi de R$ 5 mil e a dupla já estaria aplicando o golpe há pelo menos um mês e as investigações sobre o caso perseguirão. O funcionário da empresa disse na polícia que o motorista do caminhão teria arquitetado o plano.


Após a autuação em flagrante, a dupla foi encaminhada para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário), Centro de Campo Grande e, de lá para o presídio de trânsito. No sábado (6), por determinação judicial, José Carlos foi solto, enquanto Fábio foi liberado na quarta-feira (10).

Jornal Midiamax