Polícia

Polícia confirma que envolvidos na morte de PM no Indubrasil tinham a intenção de matar

A Polícia Civil apresentou nesta quarta-feira (11) dois envolvidos na morte do policial militar Rony Maickon Varoni de Moura da Silva, de 28 anos. Segundo as investigações, quatro pessoas estão envolvidas diretamente no crime que aconteceu no dia 3 de junho, na região do Indubrasil, na BR-262. O delegado Fábio Peró, titular da Derf (Delegacia […]

Arquivo Publicado em 11/06/2014, às 18h24

None
1012386117.jpg

A Polícia Civil apresentou nesta quarta-feira (11) dois envolvidos na morte do policial militar Rony Maickon Varoni de Moura da Silva, de 28 anos. Segundo as investigações, quatro pessoas estão envolvidas diretamente no crime que aconteceu no dia 3 de junho, na região do Indubrasil, na BR-262. O delegado Fábio Peró, titular da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos), afirmou que os acusados tinham intenção de matar o policial.

Segundo o delegado, Kelvin Willian Santarosa da Silva, de 21 anos, Rafael Fernandes de Quadros, de 23 anos, Alexandre Barreto de Castro, de 19 anos, e um adolescente que morreu em confronto com a polícia estão envolvidos no caso. Kelvin e Rafael já estão presos e Alexandre continua foragido.

O delegado disse que Kelvin alegou que o adolescente tinha informações privilegiadas sobre o malote e quem fazia o transporte. Peró informou que com a morte do garoto, as investigações ficaram prejudicadas, uma vez que os demais envolvidos responsabilizam o adolescente que teria conseguido as informações observando o local ou por meio de algum funcionário da empresa. “Eles sabiam que havia um policial no carro, por isso, tinham intenção de matar”, afirmou Peró. No dia, Rony Maickon estava no veículo Saveiro acompanhado por outro policial.

A possibilidade do envolvimento de alguma facção criminosa está descartada, de acordo com o delegado. Outro indício de que os acusados tinham a intenção de matar o policial está na abordagem atípica. Segundo Peró, os envolvidos estavam em duas motocicletas e dispararam ao aproximarem-se do veículo.

Rafael e o adolescente estavam em uma motocicleta Twister, sendo que o adolescente portava uma arma calibre 38. Alexandre e Kelvin estavam em uma Honda Fan, e Kelvin usava uma arma calibre .40. “O Kelvin e o adolescente atiraram e os dois acertaram os disparos”, afirmou Peró.

O delegado ressaltou que todos conheciam a rotina da empresa, que apesar de alternar veículos e quem fazia o transporte, os malotes saiam da empresa no mesmo horário. Os policiais encontraram a arma calibre .40 com Kelvin e a arma foi apreendida.

Dois dias após o crime, a polícia já havia identificado o adolescente que morava com a avó. Ele teria confessado para ela a morte de Rony Maickon. A avó avisou, por meio de SMS, a mãe do adolescente, mas a mensagem foi interceptada pela polícia.

Segundo Fábio Peró, as diligências continuam para localizar Alexandre, que está foragido.



Jornal Midiamax