Polícia

Homem que matou após festa de carnaval em Corumbá se apresenta à polícia

Está preso na Delegacia de Polícia Civil de Corumbá o eletricista Anderson Silva de Moraes, de 28 anos. Ele é acusado de matar Jonathas Campos de Oliveira, de 32 anos, com dois golpes de canivete na noite da quarta-feira (26), após o desfile do bloco Sandálias de Frei Mariano, em Corumbá a 444 km de […]

Arquivo Publicado em 05/03/2014, às 18h35

None

Está preso na Delegacia de Polícia Civil de Corumbá o eletricista Anderson Silva de Moraes, de 28 anos. Ele é acusado de matar Jonathas Campos de Oliveira, de 32 anos, com dois golpes de canivete na noite da quarta-feira (26), após o desfile do bloco Sandálias de Frei Mariano, em Corumbá a 444 km de Campo Grande. Anderson se entregou à Polícia Civil na noite da segunda-feira (4).


De acordo com o delegado titular do 1º Distrito de Polícia Civil, Gustavo Bueno, Anderson confessou a autoria e, inicialmente, foi indiciado por homicídio qualificado por motivo fútil e pode pegar até 30 anos de prisão se condenado judicialmente.


“A motivação foi ciúme. O autor é o atual marido de um ex-relacionamento da vítima e a presença da vítima nos ambientes o incomodava ao casal. Ele não estava suportando, ele nos relatou isso e em cima disso praticou esse crime bárbaro. O autor falou ‘eu não aguentei mais’. Chegou por trás, sorrateiramente, não anunciou assalto algum e matou por conta de intolerância, ciúmes”, completou.  “Ele não planejou, surgiu o ímpeto”, enfatizou o delegado.


Nas investigações da Polícia Civil usou imagens de câmeras de segurança da Guarda Municipal e do comércio. As imagens foram fundamentais para solucionar o crime. Elas mostraram que Anderson estava no mesmo bloco carnavalesco que Jonathas, na noite do homicídio. Por várias vezes o eletricista aparece – a uma distância estimada em 15 metros da vítima – encarando e pronunciando algo em direção a Jonathas.


após ter se refugiado na Bolívia, mas a Polícia Civil estava no encalço dele desde o final de semana. “Sabíamos que estava foragido na Bolívia. Se não se apresentasse, seria preso hoje dentro de um banco recebendo um benefício do Estado, que ele é o beneficiário e só ele pode retirar. Ele seria preso hoje”, completou o Gustavo Bueno.  Anderson Silva de Moraes já havia cumprido pena pelo crime de tráfico de drogas.


Chopp com o acusado


Josias Campos de Oliveira, irmão de Jonathas, esteve no 1º Distrito de Polícia Civil na manhã desta quarta-feira, após saber que o acusado pelo homicídio havia sido preso. Ele contou ao Diário Corumbaense que o Anderson chegou a beber chopp com Jonathas em uma padaria em janeiro deste ano.


“O Anderson havia se aproximado no começo deste ano. No dia 08 de janeiro tem uma foto dos dois numa padaria tomando chopp. Meu irmão queria mostrar que não tinha relacionamento com a ex-mulher. Não há nada que traga meu irmão de volta, meu irmão ia ser pai e casar. Queremos que a justiça seja feita”, afirmou Josias.

Jornal Midiamax