Polícia

Fuga em massa é contida pela polícia em delegacia de Rio Verde

Nove presos custodiados tentaram fugir, domingo (5), da Delegacia da Polícia Civil de Rio Verde – a 194 quilômetros de Campo Grande. De acordo com a polícia, eles estavam em uma cela interditada. O policial de plantão conta que, por volta das 21h30, durante rondas, ouviu um barulho no corredor lateral, que faz fundo com […]

Arquivo Publicado em 08/01/2014, às 10h34

None
1973861265.jpg

Nove presos custodiados tentaram fugir, domingo (5), da Delegacia da Polícia Civil de Rio Verde – a 194 quilômetros de Campo Grande. De acordo com a polícia, eles estavam em uma cela interditada.


O policial de plantão conta que, por volta das 21h30, durante rondas, ouviu um barulho no corredor lateral, que faz fundo com a cela onde estavam os presos. Ele ligou para os colegas que estavam de folga, além de pedir apoio para a polícia militar da cidade.


Os presos estavam cavando um grande buraco no banheiro, que havia passado do reboco de dentro quase atingindo a parte externa da parede.


Os policiais foram obrigados a improvisar uma barricada com madeiras no lado de fora para deter o avanço do buraco na carceragem da delegacia onde, segundo a polícia, não há segurança externa, a cerca elétrica e o portão eletrônico estão com defeito.


O presidente do Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis do MS) lamenta o ocorrido e frisa mais uma vez que delegacia não é cadeia. “Delegacia não tem que custodiar presos, não existe condições para isso, o policial acaba tendo que responder por algo que não tem culpa… esse tipo de ocorrência coloca em risco a integridade dos servidores, bem como a dos próprios presos e da sociedade”.


Ontem, a diretoria do Sinpol-MS esteve na cidade de Rio Verde, realizando visita para verificar a situação. Barbosa comenta que a delegacia está fragilizada e que nenhuma autoridade responsável foi até o local ou sequer se preocupou com o assunto, que é extremamente grave.


A diretoria esteve em audiência ontem, com a Promotora de Justiça Fernanda Proença de Azambuja, em busca de soluções urgentes para o caso, como a interdição total da cadeia, assim como a remoção imediata dos custodiados para os presídios. Além disso, conversaram também com o Delegado da Regional de Coxim, Arantes Fagundes Filho e com o diretor de Polícia do Interior, Ivan Barreira para que os mesmos tomem providências cabíveis.

Jornal Midiamax