Polícia

Família, amigos e polícia procuram por garota de 12 anos desaparecida

Thassila Natália Vasquez de Alvarenga, de 12 anos, está desaparecida a mais de 36 horas em Campo Grande. A jovem saiu de casa, após uma discussão com a mãe e chegou a ligar para a família por algumas vezes, porém desde a noite de sexta-feira (04), eles não têm notícias da menina.  Familiares e amigos […]

Arquivo Publicado em 06/04/2014, às 15h24

None
909720503.jpg

Thassila Natália Vasquez de Alvarenga, de 12 anos, está desaparecida a mais de 36 horas em Campo Grande. A jovem saiu de casa, após uma discussão com a mãe e chegou a ligar para a família por algumas vezes, porém desde a noite de sexta-feira (04), eles não têm notícias da menina. 

Familiares e amigos iniciaram uma campanha pelas redes sociais a fim de encontrar a jovem que desapareceu na região central da Capital. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Centro e as polícias Civil e Militar procuram pela pré-adolescente. 
A mãe da jovem trazia a filha da escola, no fim da tarde de sexta-feira, quando iniciaram uma discussão dentro do carro. “Parei próximo ao prédio onde moramos e pedi para ela descer e ir para casa, pois não estava achando vaga. Ela obedeceu sem problemas. Em seguida, achei uma vaga e ao chegar na portaria fui informada que, ela não havia entrado em casa”, relembra Lígia Cristina. 
Desesperada, ela ligou para o marido e pai da menina e avisou sobre o sumiço. “O celular dela ficou em casa, ela não leve ele pra escola”, fala e completa que eles ligaram para amigos da jovem, “ela não é de dormir fora de casa e nem de sair, um dos motivos da briga, mas liguei para quem pude, amigos, parentes e até a direção da escola, mas ninguém sabia dela. Até a professora voltou ao colégio na tentativa de achá-la por lá, porém foi em vão”, lamenta. 
Lígia afirma que a filha ligou por três para a casa de telefones públicos. “A última ligação foi de frente ao shopping Campo Grande, conseguimos rastrear, isso foi às 22h30, daí em diante não tivemos mais notícias. Pela manhã fomos à Depac e registramos o caso”, diz. 
“Nas ligações, Thassila disse que não ía voltar pra casa e que tinha dinheiro, pois tinha feito economias, mas ela saiu com a roupa do corpo, depois de uma discussão, como que isso é possível?”, questiona aflita. 
A mãe da menina lembra que a filha estava apenas com R$ 14 no bolso. Thassila foi descrita como tendo cabelo preto até a cintura, usa óculos de grau de aro preto, estava de mochila preta, short vermelho e a camisa do uniforme da escola, que é de cor branca com um “M” grande de cor vermelha (do Colégio Metropolitano). 
Serviço: Informações sobre o paradeiro da jovem podem ser feitas pelos telefones (67) 9803-0166 e (67) 3029-7098

Jornal Midiamax