Polícia

Esfaqueada nas costas em conveniência só não foi morta por ação de policial à paisana

A confusão generalizada em uma conveniência na Avenida Coronel Antonino que terminou com três pessoas presas por tentativa de homicídio e uma mulher encaminhada para a Santa Casa ainda com um punhal cravado nas costas na madrugada deste domingo (9), só não teve um desfecho diferente por conta da ação de um policial à paisana […]

Arquivo Publicado em 10/02/2014, às 18h41

None

A confusão generalizada em uma conveniência na Avenida Coronel Antonino que terminou com três pessoas presas por tentativa de homicídio e uma mulher encaminhada para a Santa Casa ainda com um punhal cravado nas costas na madrugada deste domingo (9), só não teve um desfecho diferente por conta da ação de um policial à paisana que estava lanchando em um trailer ao lado da conveniência.

De acordo com o policial militar que estava à paisana Gustavo Leite Serafim, a tentativa de homicídio aconteceu depois de uma briga generalizada que começou do outro lado da rua. Segundo ele, alguns dos envolvidos na briga se dirigiram a um Fiat Elba e saíram do local.

Quinze minutos depois, os indivíduos voltaram ao local portando facas e punhal. O policial disse que o condutor do veículo que estava com uma camisa azul com o número 8 nas costas, saiu de dentro do carro com uma faca grande na mão e perseguiu dois rapazes que também estavam envolvidos na briga.

O motorista correu aproximadamente 30 metros atrás dos rapazes e conseguiu dar uma facada no braço de uma das vítimas. Gustavo ainda afirma que o autor da facada só não conseguiu atingir a segunda vítima porque acabou escorregando e caindo antes de dar a segunda facada.

“Assim que percebi essa situação, saquei a minha arma e fui tentar impedir o rapaz que estava indo em direção a três mulheres que estavam em luta corporal no chão, no intuito de golpear uma delas. No momento em que fui atrás dele para desarmá-lo, percebi que uma das mulheres já estava com a faca cravada nas costas”, conta o policial.

Gustavo ainda disse que uma das outras duas mulheres que estava envolvidas na briga acabou se evadindo do local, enquanto ele prendia o rapaz que desceu do carro e sua esposa.

“Acionei o Corpo de Bombeiros, mas quem prestou socorro foi o Samu, que chegou muito rápido no local do ocorrido. Fiz contato com as viaturas para dar apoio e não entrei no flagrante para preservar a minha identidade, mas acredito que se não tivesse agido a menina teria morrido”, afirma o policial militar.

Jornal Midiamax