Polícia

Com Obelisco pichado,polícia investiga autoria e Seinthra deverá fazer recuperação

Na manhã desta sexta-feira quem passava pela Avenida Afonso Pena com a Rua José Antônio viu o monumento mais emblemático de Campo Grande pichado. A autor do péssimo exemplo escreveu em verde a palavra ‘Xarada’, em possível alusão a um inimigo do Batman,com pontos de interrogação. A prefeitura já tem planejada uma nova pintura do […]

Arquivo Publicado em 24/01/2014, às 21h13

None
1840107382.jpg

Na manhã desta sexta-feira quem passava pela Avenida Afonso Pena com a Rua José Antônio viu o monumento mais emblemático de Campo Grande pichado. A autor do péssimo exemplo escreveu em verde a palavra ‘Xarada’, em possível alusão a um inimigo do Batman,com pontos de interrogação. A prefeitura já tem planejada uma nova pintura do Obelisco, enquanto a Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista (Decat) já investiga o crime.

“O inquérito e as investigações irão ocorrer independentemente da abertura de um boletim de ocorrência. Trata-se de um símbolo da cidade e por isso há um agravante porque é depredação de patrimônio público. Nossos policiais vão apurar informações e possivelmente devemos consultar imagens de circuitos de seguranças próximos ao Obelisco”, enfatiza o delegado titular da Decat, Antônio Silvano Mota.

Pelo Facebook, o perfil da loja de tintas Qualicor publicou as fotos da pichação. Na postagem o usuário convocou a população a realizar um ‘rolezinho do bem’, em que as pessoas fizessem a recuperação do monumento. A iniciativa teve apoio de 166 pessoas e a loja convoca os voluntários a comparecerem ao Obelisco na segunda feira (27), às 17h30 para retocar a pintura do local.

No entanto, a Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação (Seinthra) já planeja para o próximo fim de semana a pintura do monumento. Mesmo que no dia 27 de janeiro o monumento já esteja pintado, a ação servirá para mostrar o respeito e amor do campo-grandense pela cidade, bem diferente do autor das pichações.

Jornal Midiamax