Neste dia 29 de novembro, consumidores de todo o Brasil compraram produtos no Black Friday, justamente para conseguirem alguns objetos de desejo, com, supostamente, um grande desconto no preço real.

Aproveitando a ocasião, o portal Tribuna do Ceará resolveu lançar um olhar sobre o esporte para responder a pergunta:

Como seria uma Black Friday 2013 no futebol brasileiro?

Quais jogadores, antes bem avaliados, mas que podem entrar em liquidação após esta temporada em que foram bastante desvalorizados?

A escalação da lista das possíveis pechinchas de 2013:

João Carlos (Fortaleza)

João Carlos começou o ano com total confiança da torcida do Fortaleza, inclusive defendendo pênaltis importantes para a boa campanha do Fortaleza na Copa do Nordeste.

Falhas constantes no decorrer do ano, principalmente em chutes de longa distância, fizeram com que o antigo dono da camisa 1 do Leão terminasse a temporada como reserva de Flávio.

Lúcio (São Paulo)

Contratado para ser o dono da zaga são-paulina, Lúcio não conseguiu ser sombra do zagueiro que brilhou na Seleção Brasileira e na Inter de Milão;

Após muitas falhas, foi afastado do elenco principal do Tricolor do Morumbi e atualmente somente espera o final do ano para acertar com um novo clube

Cris (Vasco)

Ex-jogador de Corinthians, Cruzeiro, Lyon e Seleção Brasileira, sendo inclusive convocado para a Copa de 2006, Cris foi contratado em janeiro pelo Grêmio. Após exibições terríveis pelo Tricolor Gaúcho, rapidamente perdeu espaço no time.

Repassado para o Vasco, o zagueiro causa verdadeiros calafrios na torcida cruz-maltina sempre que está em campo.

Rafael Vaz (Vasco)

Contratado pelo Ceará no inicio do ano, Rafael Vaz logo se destacou com a camisa alvinegra. As boas atuações pelo Vovô, chamaram a atenção do Vasco, que após um longo imbróglio, o levou para São Januário.

Pelo clube carioca, começou bem, chegou a ser afastado por problemas de salários e depois foi reintegrado. Atualmente raramente é relacionado pelo técnico Adílson Baptista.

Jadson (São Paulo)

A temporada de Jadson pode ser resumida em antes e depois da Copa das Confederações. Antes, o camisa 10 do São Paulo, tinha vaga certa na equipe titular e foi um dos poucos a escaparem do fiasco da equipe na Taça Libertadores.

Chegou a competição da Fifa e o meia, mesmo como reserva, foi campeão, jogando inclusive na final. De volta ao Morumbi, viu o futebol sumir, o time cair de produção e até mesmo passou a frequentar o banco de reservas. Ou seja, em 12 meses, Jadson deixou de ser um postulante a uma vaga na Copa do Mundo para ser apenas um suplente no seu clube.

Osvaldo (São Paulo)

Sensação do Tricolor Paulista em 2012, Osvaldo começou o ano brilhando em campo, tanto que foi convocado duas vezes para a Seleção Brasileira. Após recusar propostas milionárias de clubes como a Roma e o Mestlist Khakiv, o atacante não conseguiu o mesmo brilho da temporada anterior.

Sem marcar há nove meses, o cearense caiu de titular absoluto para reserva de jogadores como Ademílson e Welliton. Muito desvalorizado, tem futuro incerto no Morumbi.

Diego Forlan (Internacional)

Melhor jogador da Copa do Mundo de 2010, Diego Forlan chegou ao Internacional ainda em 2012. Depois de um período de adaptação, o uruguaio foi importante para o título gaúcho do Colorado no primeiro semestre deste ano.

Entretanto, no segundo semestre sucumbiu ao mau momento do time e dificilmente permanecerá em 2014.

Assisinho (Fortaleza)

Apesar de ter terminado a temporada como o principal artilheiro do Fortaleza, com 25 gols marcados, Assisinho deixou uma sombra de dúvida ao final do ano.

Tudo porque ficou marcado por balançar as redes em partidas contra equipes menores, mas passou em branco tanto nos clássicos contra o Ceará (foram quatro em 2013), quanto no jogos decisivos da Série C.

Entretanto, o atacante está cotado para reforçar justamente o Ceará em 2014.

Alexandre Pato (Corinthians)

Contratado pelo Corinthians junto ao Milan por cerca de 15 milhões de euros, Alexandre Pato ainda não conseguiu sequer se firmar no time titular do Alvinegro Paulista.

Apesar de ter recebido algumas convocações para a Seleção Brasileira, o atacante corintiano fecha o ano bastante desvalorizado, principalmente após a cavadinha e o pênalti perdido, de forma patética, contra o Grêmio, nas quartas-de-final Copa do Brasil.

Marcelo Moreno (Flamengo)

Contratado pelo Flamengo, após esnobar o Palmeiras, Marcelo Moreno chegou à Gávea com status de craque. Tanto, que o departamento de marketing do clube lançou um campanha publicitária, onde o boliviano marcava o gol de um hipotético título mundial.

O tempo passou, Marcelo Moreno viu – de camarote, no banco de reservas – Hernane se firmar como goleador do Mengo e virar ídolo da torcida, enquanto ele deverá procurar onde jogar em 2014.

Giancarlo (Treze)

Giancarlo começou a temporada como um verdadeiro furacão de gols. Na primeira fase do Campeonato Cearense foi fundamental para a boa campanha do Ferroviário. Mesmo tendo caído de produção, foi contratado pelo Vitória, e antes já tinha recebido sondagens do Internacional.

Sem sucesso no Leão Baiano, foi emprestado ao Treze, onde só marcou um gol. É verdade, que foi em um jogo importante, contra o Santa Cruz, mas insuficiente para transformá-lo em titular.