Polícia

Três são presos com dinheiro falso e tráfico de drogas em Dourados

Policiais da ALI (Agência Local de Inteligência) em conjunto com a Força-Tática, ambas da Polícia Militar, prenderam três pessoas entre a tarde e a noite de ontem (26), durante uma ação realizada no Jardim Ouro Verde em Dourados e no distrito de Nova América, em Caarapó. Na ocasião, Fábio Júnior Ciolim, 24, morador na rua […]

Arquivo Publicado em 27/03/2013, às 11h50

None
535853132.jpg

Policiais da ALI (Agência Local de Inteligência) em conjunto com a Força-Tática, ambas da Polícia Militar, prenderam três pessoas entre a tarde e a noite de ontem (26), durante uma ação realizada no Jardim Ouro Verde em Dourados e no distrito de Nova América, em Caarapó.

Na ocasião, Fábio Júnior Ciolim, 24, morador na rua Joaquim Santos Veríssimo Junior, no Jardim Ouro Verde e Fábio Martines da Silva, 25, conhecido como ‘Caxelepe’, morador no distrito da cidade vizinha, foram detidos e autuados em flagrante por tráfico e associação ao tráfico de entorpecentes.

Já a companheira de Fábio Júnior, Natiele da Silva Santos, foi detida com 82 notas faldas de R$ 50, totalizando R$ 4,1 mil.

O Caso

Na tarde de ontem, uma mulher registrou ocorrência na delegacia informando que havia comercializado joias e roupas para a acusada e teria recebido uma nota falsificada. Em posse das informações, os policiais se deslocaram até a residência do casal, encontrando a mochila com o dinheiro irregular.

No local também foram encontrados 80g de cocaína e 34g de maconha dividida em duas porções. Enquanto realizavam a ocorrência, várias mensagens de Caxelepe começaram a chegar ao aparelho de telefone celular dos acusados.

Os policiais se deslocaram até a casa do jovem e efetuaram a detenção. Caxelepe e Fábio Júnior foram encaminhados ao 1º Distrito Policial de Dourados. O primeiro é suspeito de pertencer a uma facção criminosa e considerado de alta periculosidade por ter fugido da cadeia pública de Caarapó, ter praticado ações criminosas na segunda maior cidade do Estado e por ameaças a policiais.

Já o companheiro disse que a droga era para consumo próprio. Ele afirmou que havia comprado 130g de cocaína pura no Paraguai e teria desembolsado R$ 5 mil. Como não recebeu o entorpecente em sua totalidade, o dinheiro foi devolvido e não sabia que era falso.

Natiele foi encaminhada com as cédulas até a delegacia de Polícia Federal e presta depoimento sobre o crime.

A polícia ainda investiga a ligação de Caxelepe com outras ocorrências registradas em Dourados e o seu envolvimento com uma facção criminosa.

Jornal Midiamax