Polícia

Polícia prende ladrão que matou jovem em cruzamento do bairro Guanandi

Ladrão a assassino confesso, Fabio Sarate de Souza, 26 anos, foi apresentado na 5ª D.P. (Delgacia de Polícia) de Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (25), como autor da execução a queima roupa de Lucas Inácio da Silva, de 22 anos, em um cruzamento do bairro Guanandi. Lucas foi baleado, na noite de 9 de dezembro, na avenida […]

Arquivo Publicado em 25/01/2013, às 14h52

None
1217699713.jpg

Ladrão a assassino confesso, Fabio Sarate de Souza, 26 anos, foi apresentado na 5ª D.P. (Delgacia de Polícia) de Campo Grande, na manhã desta sexta-feira (25), como autor da execução a queima roupa de Lucas Inácio da Silva, de 22 anos, em um cruzamento do bairro Guanandi.

Lucas foi baleado, na noite de 9 de dezembro, na avenida Manoel da Costa Lima, em Campo Grande, durante tentativa de assaltado. Ele estava parado com sua Honda CB 300, de placa NRT-8340, da capital, aguardando o sinal verde no semáforo, que fica no cruzamento com a avenida Ernesto Geisel.

Após 40 dias de investigações, a polícia prendeu um dos envolvidos no crime, que estariam em outra motocicleta. O passageiro, Fabio, alegou em depoimento que estaria alcoolizado e que ele e seu comparsa tinham intenção de roubar uma moto. Mas segundo ele, o disparo foi acidental.

Na sua versão, no dia do crime teve um desentendimento no trânsito, quando a vítima jogou a motocicleta para o lado direito. Logo em seguida, todos pararam no semáforo. Fabio contou que ao anunciar o assalto, apontou a arma para vítima, tendo um disparo acidental.

Ele relatou que adquiriu a arma por R$ 600,00 em um bar localizado na avenida Cafezais para se defender, já que sofria ameaças. “Eu sou ladrão. Só ando armado porque tenho receio de alguém revidar”.

Quando questionado sobre o comparsa, contou que ambos trabalhavam como pedreiro juntos e o conhecia apenas como Roberto. A intenção dos ladrões era negociar a moto na fronteira para “fazer dinheiro”. Mas de acordo com o delegado Fernando Nogueira, responsável pelas investigações, a versão de Fabio é desmentida.

“Ele é um ladrão frio e calculista, que a qualquer instante é capaz de roubar e matar. Ele disse que saiu para roubar, Lucas tornou-se vítima porque passou por ele e o encarou. Além de estar com uma moto esportiva CB300, avaliada em torno de 13 mil reais. Ele viu uma oportunidade de cometer o crime e não pensou nas conseqüências”, destacou.

Para o delegado, Fabio já desceu atirando na vítima, e como não conseguiu ligar a motocicleta, após varias tentativas, ele acabou fugindo da cena do crime. O outro indivíduo envolvido no crime ainda está sendo procurado.

Fabio já possui passagem por dois roubos e homicídio no dia 28 de novembro do ano passado 2011. Agora, ele será indiciado por latrocínio, que é roubo seguido de morte. A pena varia de 20 a 30 anos de reclusão.   

Jornal Midiamax