Polícia

Polícia ‘caça’ motociclista que matou criança de três anos empinando moto na Capital

O crime chocou a população. O menino de três anos estava brincando com o pai quando foi atingido por uma Honda Titan verde em alta velocidade e sem placas na periferia de Campo Grande.

Arquivo Publicado em 04/11/2013, às 14h32

None
1948686802.jpg

O crime chocou a população. O menino de três anos estava brincando com o pai quando foi atingido por uma Honda Titan verde em alta velocidade e sem placas na periferia de Campo Grande.

João Carlos de Souza, de 3 anos, foi atropelado enquanto estava brincando perto do meio fio, ao lado do pai, quando uma Honda CG Titan verde, que trafegava em alta velocidade, empinou e o atropelou. A motocicleta estava sem placa e o motociclista não parou para prestar socorro.

O acidente aconteceu por volta das 16h desse domingo (03), na rua Mãe Menininha, no conjunto Tarsila do Amaral, em Campo Grande. O corpo da criança está sendo velado no local.

O pai do menino, Edinei ferreira de Souza, 34 anos, considera esse um ato covardia e que o atropelador se portou como um criminoso. “Ele não merece viver. É uma pessoa sem consciência, que se não for preso pode repetir isso outras vezes e entristecer outras famílias”, afirma.

Edinei conta que estava com o filho e que eles iriam empinar pipa, quando avistou a motocicleta empinando. Quando o pneu atingiu o chão o motociclista perdeu o controle da motocicleta e atingiu a criança.

O pai ainda tentou pegar a moto dele para perseguir o motociclista, mas quando o suspeito viu que estava sendo perseguido aumentou a velocidade e despistou Edinei. O pai da criança ainda caiu de moto e ralou o pé e o braço.

De acordo com ele o homem pilotava uma Honda CG Titan verde, sem placa, e de aro esportivo preto. “Estou buscando fé em Deus, só ele para ajudar a gente a superar uma coisa dessas”, afirma o homem que tem outra filha de cinco anos.

Camila Chistina, 12 anos, é tia da criança e irmã da mãe do garoto, e estava na frente de casa quando aconteceu o atropelamento. Ela afirmou que na hora em que o motociclista chegou a esquina, depois do atropelamento, o homem ainda empinou a moto mais uma vez e depois fugiu em alta velocidade.

O menino está sendo velado na própria residência, e o enterro será amanha, no cemitério do Cruzeiro. A mãe está inconsolável e não conseguiu conversar com a entrevista.

Jornal Midiamax