Polícia

Greenpeace pede que França defenda os 30 ativistas presos na Rússia

O Greenpeace pediu nesta quinta-feira (31) que o ministro francês Jean-Marc Ayrault, em visita a Moscou, defenda a libertação dos 30 militantes da ONG ecologista detidos na Rússia, e não apenas do cidadão francês que está entre eles. “Consideramos que não se deve fazer distinções entre os 30, ainda mais quando, entre eles, há russos, […]

Arquivo Publicado em 31/10/2013, às 15h57

None

O Greenpeace pediu nesta quinta-feira (31) que o ministro francês Jean-Marc Ayrault, em visita a Moscou, defenda a libertação dos 30 militantes da ONG ecologista detidos na Rússia, e não apenas do cidadão francês que está entre eles.


“Consideramos que não se deve fazer distinções entre os 30, ainda mais quando, entre eles, há russos, para os quais a situação poderia ser mais complicada”, declarou o diretor do Greenpeace França, Jean-François Julliard.


“Pedimos que Jean-Marc Ayrault não se esqueça dos 30 e dirija a mesma mensagem às autoridades russas: é preciso libertar todos”, acrescentou Julliard.


O primeiro-ministro francês realiza uma visita de dois dias à Rússia até sexta-feira (1º).


O barco do Greenpeace Artic Sunrise foi interceptado por um comando russo no dia 19 de setembro depois que seus ativistas tentaram escalar uma plataforma petroleira do gigante Gazprom para denunciar os riscos ecológicos que ela representa.


Entre os 30 membros da equipe havia um cozinheiro, um médico e dois jornalistas freelance de 18 países diferentes (quatro russos e 26 estrangeiros), entre eles a brasileira Ana Paula Maciel.


Todos foram detidos em Murmansk, no Noroeste da Rússia, e acusados de vandalismo, um crime passível de até sete anos de prisão.

Jornal Midiamax