Polícia

Em GO, Polícia investiga vazamento de vídeo de ‘sexting’ entre jovens

A polícia de Goiás investiga a divulgação de vídeos e fotos eróticas de uma jovem de 19 anos nas redes sociais e pelo aplicativo de bate-papo Whatsapp — prática conhecida como “sexting”. O principal suspeito de tornar as imagens, nas quais o casal aparece praticando sexo, é o namorado da vítima. A divulgação do conteúdo […]

Arquivo Publicado em 09/10/2013, às 20h57

None

A polícia de Goiás investiga a divulgação de vídeos e fotos eróticas de uma jovem de 19 anos nas redes sociais e pelo aplicativo de bate-papo Whatsapp — prática conhecida como “sexting”. O principal suspeito de tornar as imagens, nas quais o casal aparece praticando sexo, é o namorado da vítima.


A divulgação do conteúdo começou há uma semana. Os vídeos e fotos se espalharam pela internet e via celulares e até viraram “meme”. Em uma das imagens, a vítima aparece fazendo o sinal de “OK” e várias pessoas começaram a publicar fotos em redes sociais fazendo o mesmo gesto.


A delegada Ana Elisa Gomes Martins, da Delegacia de Especializada em Defesa da Mulher, afirma que o caso foi registrado na última sexta-feira (4) pela vítima, que prestou esclarecimentos.


Segundo ela, a jovem afirmou “sofrer constrangimentos” e que até foi afastada do trabalho em uma loja de roupas devido ao conteúdo circulando na internet e em celulares.


A repercussão teria gerado um quadro depressivo na jovem, diz a delegada. A vítima afirmou à autoridade que os vídeos foram gravados com seu consentimento, porém a divulgação do conteúdo pelo namorado não havia sido autorizada. Ao registrar o Boletim de Ocorrência, a vítima contou que os dois mantinham um relacionamento há três anos e as imagens foram gravadas no início deste ano.


A delegada afirma que intimará o suspeito ainda nesta semana para apurar os motivos da divulgação dos vídeos. A jovem também deve ser novamente convocada para prestar mais esclarecimentos.


Caso seja comprovada a autoria do fato, o suspeito pode responder por difamação com base na Lei Maria da Penha, já que os dois tiveram um relacionamento amoroso, com pena de três meses a um ano de prisão.

Jornal Midiamax