Polícia

Trio de MS mata policial civil no Mato Grosso ao tentar roubar malote

Três rapazes de Mato Grosso do Sul arquitetaram um plano de assalto a uma empresa no Estado do Mato Grosso, mas a ação não saiu como planejada. Um deles foi baleado e um policial civil acabou morto. O caso aconteceu na manhã de terça-feira, 9, na cidade de Rondonópolis. De acordo com a imprensa do […]

Arquivo Publicado em 10/10/2012, às 21h04

None
325253264.jpg

Três rapazes de Mato Grosso do Sul arquitetaram um plano de assalto a uma empresa no Estado do Mato Grosso, mas a ação não saiu como planejada. Um deles foi baleado e um policial civil acabou morto. O caso aconteceu na manhã de terça-feira, 9, na cidade de Rondonópolis.

De acordo com a imprensa do estado vizinho, Marcos Vinicius de Souza Schmidt, de 20 anos, Leandro Roberto de Souza, 18, e Thiago Padilha Diniz, de 19 anos, tentaram roubar um malote de uma empresa e na ação o policial civil Alcides Borges Nantes foi baleado e morreu no local. A vítima carregava R$ 10 mil em um malote.

Marcos conseguiu fugir, Leandro foi preso e Thiago foi baleado e segundo médicos que o atenderam seu estado é grave. Os três saíram de Mato Grosso do Sul rumo ao estado vizinho em uma caminhonete e carregando uma moto na carroceria. O assalto aconteceu em frente a uma transportadora na BR-364.

De acordo com testemunhas, dois homens chegaram ao local em uma motocicleta 300 cilindrada e anunciaram o roubo. O policial Alcides reagiu e foi atingido com um tiro no braço que atingiu seu coração.

Conforme o que apurou a polícia do Mato Grosso foi Thiago Padilha o autor dos disparos contra o policial. Marcos Vinícius e Leandro são primos e sobrinhos de Jeová Felismino de Souza, que foi preso em julho desse ano sob acusação de roubo a malote em frente a uma agência do Banco do Brasil, na Avenida Júlio de Castilho, em Campo Grande.

Na época, a Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) descobriu que Jeová havia pegado dez dias de licença da Colônia Penal Agrícola Gameleira e coincidência ou não, foi no segundo dia de sua dispensa que o roubo aconteceu. Na luta corporal para tomada do malote, Felipe Pedra Nogueira, de 19 anos, foi baleado. Jeová foi preso no dia seguinte, no bairro Serradinho, e em entrevista coletiva negou sua participação.

Mesmo Jeová negando sua participação no crime ocorrido na Júlio de Castilho, a polícia conseguiu uma testemunha que o viu um dia antes na região aparentando estar sondando algo. No dia do assalto ao malote outra pessoa afirma ter visto Jeová subindo em uma moto vermelha e seguindo Felipe.

Marco Vinícius, quando tinha 17 anos, foi apontado como comparsa no crime de um roubo de malote na cidade de Coxim, no ano de 2009. A ação foi no dia 10 de agosto contra duas mulheres que levavam um malote da agência Sicred para o Banco do Brasil. O companheiro de roubo, conforme a polícia, foi Jeová Felismino. Já maior de idade, Marcos teria participação, em 2010, a perseguição e troca de tiros em plena Avenida Afonso Pena, a mais movimentada da Capital, quando ele e um comparsa atacaram um homem que acabara de sair do Banco Rural. (Notícia editada as 18h29 para correção e acréscimo de informação).

Jornal Midiamax