Polícia

Preso professor de música suspeito de abusar de aluna de 8 anos

A menina relata ter sido molestada pelo menos quatro vezes na escola de música em que estudava teclado na cidade de Coxim (MS). O professor diz nunca ter tocado a menina.

Arquivo Publicado em 05/01/2012, às 00h40

None
340741773.jpg

A menina relata ter sido molestada pelo menos quatro vezes na escola de música em que estudava teclado na cidade de Coxim (MS). O professor diz nunca ter tocado a menina.

Uma criança de oito anos teria sido estuprada por pelo professor de música na cidade de Coxim (MS). O caso teria acontecido dentro da própria escola de música em fevereiro do ano passado.


Segundo o site Edição de Notícias, o professor da Escola de Música Zacarias Mourão, O. S. de 60 anos, é suspeito do estupro da menina que na época teria oito anos de idade e que só agora teria contado aos familiares sobre o fato.


Silvia Elaine Girardi, delegada da DEAM (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) em Coxim, relata que a família procurou a delegacia na segunda-feira (2) para registrar a ocorrência.


Segundo a delegada, a menina relatou que foi molestada cerca de quatro vezes por O. S. e, em uma delas chegou a haver penetração. A menina conta que para praticar o ato, o professor a levava para uma sala separada, tampava a sua boca e segurava a porta com os pés. Uma das vezes, ele chegou a ameaçar a criança dizendo que se ela contasse a alguém, ele a engravidaria e depois a mataria.


A mãe da garota tirou a menina da escola de música em abril de 2010 e conta que a filha começou a fazer aulas de teclado em fevereiro de 2010, e após algum tempo, a menina dizia que não queria mais continuar as aulas e, a partir de então, começou a apresentar comportamentos estranhos.  Na época a menina começou a ter sangramentos e a família a levou em um médico pediatra, o qual detectou que poderia ser uma forte infecção.


Em depoimento, a menina relatou ainda, que chegou a ver o professor “beijando e agarrando a força” outras crianças.


A delegada solicitou um exame de corpo de delito, tendo o laudo constado que a garota já não era mais virgem.


O. S. que nega a acusação. “Esse tipo de pecado nunca cometi e nunca vou cometer. Não consigo entender a acusação. Isso pode ter sido alguém que fez e colocou o nome do Professor O.S. Eu nunca toquei no corpo dela”, diz.


A investigação busca por outras crianças que possam ter sofrido abuso do professor que esta preso em caráter temporário desde a tarde desta quarta-feira (4).



As informações são do site Edição de Notícias

Jornal Midiamax