Polícia

Polícia recupera na fronteira da Bolívia caminhão roubado em Campo Grande

Os trabalhadores foram vítimas de emboscada até um dos bandidos atravessar a fronteira com a Bolívia, sendo que o veículo foi recuperado no dia do Natal, após muita insistência das autoridades brasileiras.

Arquivo Publicado em 27/12/2012, às 13h45

None
1474945332.jpg

Os trabalhadores foram vítimas de emboscada até um dos bandidos atravessar a fronteira com a Bolívia, sendo que o veículo foi recuperado no dia do Natal, após muita insistência das autoridades brasileiras.

Para fechar bem o ano de 2012, a Polícia Civil realizou uma negociação inédita e recuperou o caminhão de um trio que caiu em uma emboscada. Eles foram torturados até o momento de um dos bandidos atravessar a fronteira com a Bolívia, sendo que ele foi recuperado no dia do Natal, após muita insistência das autoridades brasileiras.


Na ocasião, um casal e um homem planejou a ação. Eles ligaram para as vítimas, que possuem uma pequena empresa de mudanças e combinaram um serviço em uma residência no bairro Buriti, em Campo Grande. O horário combinado seria às 8h e lá eles estavam.


No portão, um adolescente de 17 anos e um homem identificado como Fernando, mas que na verdade seria Wesley Silva da Silva, 18 anos, vulgo ‘buchecha’ receberam as vítimas na casa. Eles cometeram a ação a mando dos detentos Renato de Souza Ferreira, 28 anos, e Ricardo de Souza, 31 anos. Ao entrar, os bandidos disseram que iriam mostrar a casa, ‘emprestada’ de Silvia Schuffner Mendes, 22 anos, mas na verdade se tratava de uma emboscada para o crime. 


Duas das três vítimas entraram no local. Eles então anunciaram o assalto com um revólver e uma faca. E.T. foi o único a ficar fora da casa, mas logo depois foi surpreendido e amordaçado. Para a polícia, as vitimas disseram que a todo o momento eles conversavam ao telefone com Silvia e Ricardo de Souza, 31 anos.


Trio que estava amordaçado foi obrigado a beber líquido do golpe ‘boa noite cinderela’

Logo depois um dos bandidos levarem o caminhão rumo a Corumbá, município distante a 444 quilômetros da Capital, as vítimas foram obrigadas a ingerir um líquido de cor alaranjada, semelhante ao golpe do ‘boa noite cinderela’.


Eles contaram que ficaram tontos, dopados, sendo que o que bebeu menos ainda conseguiu se soltar e ajudar os companheiros. Os bandidos nessa hora já estavam bem longe e nenhuma das forças policiais sabia do crime até aquele momento.


Assim que ligaram para a polícia, as vítimas foram encaminhadas para o posto de saúde do bairro Guanandy. Aquele que disse estar melhor foi levado para a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga, mas lá também passou mal.


Os policiais iniciaram as investigações e identificaram o dono da casa. Ele explicou que o local estaria alugado para a sua filha e que nada sabia do fato. Já com a identificação da jovem, eles constataram que ela era a namorada de Renato e que o crime foi planejado de dentro do presídio, onde há algum tempo ele esteve preso.


Renato foi preso em 2007 por tráfico de drogas, tentativa de roubo e favorecimento real em 2011, detido em flagrante mais uma vez quando tentava entrar com um chip de telefone no presídio), além de passagens por porte ilegal de arma.


Ricardo possui quatro passagens por roubo qualificado, todos registrados na Defurv (Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos), nos meses de agosto, setembro e dois em dezembro deste ano. Já Silvia não possuía antecedentes criminais.


Todos já estão presos e foram indiciados por roubo qualificado por seqüestro, formação de quadrilha, uso indevido de arma de fogo e corrupção de menor.


“Foi uma negociação difícil, que nos tomou muita energia, mas solucionamos o caso, prendendo os autores e recuperando o caminhão com o trabalho em conjunto dos policiais da Defurv e a 1ª Delegacia de Polícia de Corumbá, auxiliado pelas autoridades bolivianas. Desde que estou aqui, não vi nada do tipo”, concluiu a delegada titular da Defurv, Maria de Lourdes Cano.

Jornal Midiamax