Polícia

Polícia pede prisão de quatro torturadores que obrigaram adolescentes a fazer sexo

Nas imagens que o Midiamax teve acesso, feitas do interior de um veículo, é nítido o momento em que o adolescente, acusado pelos torturadores de furto de um celular, é obrigado a fazer sexo oral em outro menino.

Arquivo Publicado em 10/12/2012, às 12h32

None

Nas imagens que o Midiamax teve acesso, feitas do interior de um veículo, é nítido o momento em que o adolescente, acusado pelos torturadores de furto de um celular, é obrigado a fazer sexo oral em outro menino.

A Polícia Civil concluiu o inquérito que investigava a tortura e o abuso sexual cometido contra dois adolescentes, moradores do bairro Aero Rancho, região norte de Campo Grande. O crime foi descoberto no mesmo dia, em novembro, já que um dos criminosos fez um vídeo e postou na internet.


Nas imagens que o Midiamax teve acesso, feitas do interior de um veículo, é nítido o momento em que o adolescente, acusado pelos torturadores de furto de um celular, é obrigado a fazer sexo oral em outro menino. Ambos foram considerados vítimas pelo delegado. E esta seria a segunda vez, já que na primeira abordagem, um deles recebeu socos e tapas no rosto.


”O furto jamais foi comprovado e nem ocorrência eles registraram. E, baseado nos depoimentos das vítimas, tanto o que foi obrigado a cometer o abuso tanto o que foi abusado, comprovamos o crime de estupro e tortura”, afirma o delegado Fernando Nogueira, responsável pelas investigações.


Dos autores, quatro foram identificados e estão com a prisão preventiva decretada. Eles teriam levado a vítima para a estrada da Gameleira e obrigado a fazer sexo oral, além de masturbar um dos jovens. “Os policiais realizam diligências e a prisão pode ocorrer a qualquer momento”, garante o delegado Nogueira.

Considerados como crimes hediondos, a pena para estupro varia de cinco a quinze anos de reclusão. Já a pena de tortura varia de seis a dez anos. Nenhum dos autores possuía antecedentes criminais.

Jornal Midiamax