Polícia

Polícia Federal investiga fraude em patrimônio da União

A Polícia Federal (PF) cumpriu, nesta sexta-feira, quatro mandados de busca e apreensão na casa de dois servidores da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) e na unidade do órgão no Distrito Federal. A operação Perímetro investiga o desvio de um terreno da União, avaliado em R$ 380 milhões, para um proprietário particular. As investigações […]

Arquivo Publicado em 08/12/2012, às 01h41

None

A Polícia Federal (PF) cumpriu, nesta sexta-feira, quatro mandados de busca e apreensão na casa de dois servidores da Secretaria de Patrimônio da União (SPU) e na unidade do órgão no Distrito Federal. A operação Perímetro investiga o desvio de um terreno da União, avaliado em R$ 380 milhões, para um proprietário particular.

As investigações da PF indicam que houve fraude em um relatório emitido pela Terracap, órgão que gerencia e comercializa terras públicas do Distrito Federal, em 2008. A SPU ratificou o documento em 2011, afirmando que o terreno pertenceria a um proprietário particular e não à União. Seis funcionários da SPU e um da Terracap são suspeitos de envolvimento no esquema. Todos eles foram ouvidos pela PF.

Para a polícia, a área de 344 hectares, na cidade de Vicente Pires, que fica a 20 km do centro de Brasília, seria destinada para construção de um setor habitacional. Segundo a delegada Fernanda Costa de Oliveira, as investigações agora estão voltadas para o suposto proprietário da área.

Na operação, foram apreendidos dois carros, além de documentos. A delegada pediu ainda a prisão de um dos suspeitos, mas foi negada pela Justiça.

A terras na cidade de Vicentes Pires são historicamente motivo de disputa entre o governo e particulares. Inicialmente, a cidade seria voltada para a produção rural. No entanto, há cerca de 15 anos a área vem sendo fracionada dando origem a condomínios residenciais.

A Terracap informou, em nota, que foi procurada apenas para liberar dois funcionários para prestarem depoimento à PF. Já a assessoria do Ministério do Planejamento, ao qual a SPU está subordinada, não se manifestou até o momento.

Jornal Midiamax