Polícia

Lombada eletrônica registra 88 km/h e caso vai parar na polícia, Veja o vídeo:

Mesmo passando devagar, bem menos que a velocidade permitida de até 30 km/h, motoristas são surpreendidos com o som do alarme, a luz de alerta e o registro de 88 km/h na lombada que vai sentido ao Comando Geral da PM, o que configura em uma infração no trânsito.

Arquivo Publicado em 11/10/2012, às 15h53

None

Mesmo passando devagar, bem menos que a velocidade permitida de até 30 km/h, motoristas são surpreendidos com o som do alarme, a luz de alerta e o registro de 88 km/h na lombada que vai sentido ao Comando Geral da PM, o que configura em uma infração no trânsito.

Já pensou em levar uma multa neste feriado, por excesso de velocidade, sem ter culpa alguma? Pois é o que está acontecendo em uma lombada eletrônica no Parque dos Poderes, avenida Projetada, em frente ao MPE/MS (Ministério Público Estadual de Mato Grosso do Sul), desde que cessaram as chuvas de ontem (10).


Mesmo passando devagar, bem menos que a velocidade máxima permitida, de 30 km/h, motoristas estão sendo surpreendidos com o som do alarme, a luz de alerta e o registro de 88 km/h na lombada que vai sentido ao Comando Geral da PM, o que configura em uma infração no trânsito.


A equipe de reportagem do Midiamax foi ao local e confirmou o fato. Qualquer um que passava, já ouvia o som do alarme, anunciando uma possível multa. “Eu entro de serviço às 7h, como agente patrimonial na creche em frente ao MPE/MS e fui multado com certeza. Passei devagar, mas soou o alarme e então fui à delegacia registrar uma ocorrência, porque é muito injusto isso”, diz o agente Clécio Gimenez, 32 anos.


Ele conta ainda que o agente que fazia o plantão anterior garante que o problema na lombada começou logo após as fortes chuvas. “A lombada ficou louca, multando todo mundo e com isso as pessoas paravam o carro, buscando uma resposta e muita gente foi parar na delegacia”, disse o agente.


Logo cedo, ao menos três pessoas foram a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro. “Orientamos a quem se sentir lesado a entrar em contato com a Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), na segunda-feira pela manhã, ou até mesmo entrar com uma ação passível de reparação na área cível”, afirma o delegado plantonista Divino Furtado de Mendonça.


O delegado afirma que, como pode se tratar de um problema técnico, não é um caso de polícia. “Para quem passa, pode ficar revoltado e passar a impressão de que está sendo roubado, mas o equipamento tem de ser verificado primeiro”, explica o delegado Mendonça.

O Midiamax entrou em contato com o diretor do departamento de fiscalização de trânsito da Agetran, Éder Vera Cruz, e ele informou que a jurisdição do parque é do Detran/MS (Departamento Estadual de Trânsito).

Veja o vídeo:

Jornal Midiamax