Polícia

Fábrica autuada pela polícia por furto de energia sonegava R$ 8 mil de consumo por mês

A suspeita do local veio após uma denúncia anônima e uma entrevista do dono concedida ao Midiamax, na qual ele dizia que fabrica atualmente cerca de 50 mil unidades diárias, distribuídas para todo Mato Grosso do Sul.

Arquivo Publicado em 23/07/2012, às 12h55

None
1260606316.jpg

A suspeita do local veio após uma denúncia anônima e uma entrevista do dono concedida ao Midiamax, na qual ele dizia que fabrica atualmente cerca de 50 mil unidades diárias, distribuídas para todo Mato Grosso do Sul.

Se estivesse com a conta de energia elétrica em dia, o valor mensal seria ao menos de R$ 8 mil. Porém, há oito meses o proprietário de uma fábrica de sorvete com iogurte, instalada na região do Indubrasil, desligou o medidor e conectou um fio irregularmente em outra fiação, algo que foi flagrado pela Polícia Civil e a Enersul, na sexta-feira (20).


De acordo com a analista de recuperação Denise Simões, a suspeita do furto de energia elétrica no local veio após uma denúncia anônima e uma entrevista do dono concedida ao Midiamax, na qual ele dizia que fabrica atualmente cerca de 50 mil unidades diárias, distribuídas para todo Mato Grosso do Sul.


“Como uma unidade poderia estar desligada e ao mesmo tempo em pleno funcionamento? Então, na sexta à tarde, fizemos a verificação In Loco e constatamos que o medidor de energia estava desligado e também que a ligação era ilegal”, afirma Simões.


Mesmo não estando no local, o proprietário foi autuado por furto e também recebeu uma multa. “Muitas pessoas fraudam sem medo o medidor por achar que fazer ‘gato’ é algo normal, o que na verdade é um crime”, conclui Simões.


De 2011 para este ano, o furto de energia elétrica aumentou mais de 50%. No ano passado, foram 33.325 locais autuados em Campo Grande e que depois tiveram seus medidores de energia regularizados. Já neste ano, de janeiro a julho, o número de locais com furto ilegal de energia é de 37.944, segundo a Enersul (Empresa Concessionária de Energia Elétrica de Mato Grosso do Sul).


Operação “Il Gattino”


Recentemente, em Campo Grande, a Polícia Civil e a Enersul deflagraram uma operação de vistoria na região nobre da cidade. Em um dia, os policiais percorreram 45 locais do bairro Jardim dos Estados, autuando em flagrante dez pessoas, sendo que uma delas foi liberada após o pagamento da fiança.


Ao todo, a intenção é vistoriar 200 pontos suspeitos na cidade este ano. O furto de energia elétrica é considerado crime. A pena varia de detenção de um a quatro anos, mais o pagamento de multa ou fiança em casos determinados pelo juiz.

Jornal Midiamax