Polícia

Estelionatário das noivas é preso com R$ 22 mil em vestidos alugados

Homem se fez passar por funcionário de universidade para pedir patrocínio e então alugar vestidos de noivas e festas, que ele levaria para Curitiba (PR).

Arquivo Publicado em 19/04/2012, às 17h53

None

Homem se fez passar por funcionário de universidade para pedir patrocínio e então alugar vestidos de noivas e festas, que ele levaria para Curitiba (PR).

Nilmar Fabiani Dallaqua, 30 anos, o ‘estelionatário das noivas’, como ele ficou conhecido no meio policial, foi preso na noite de ontem (18), no momento em que embarcava da Capital para a cidade de Curitiba (PR), com R$ 22 mil em vestidos e peças de noivas que alugou em uma loja especializada na rua Rui Barbosa, centro de Campo Grande.


”Ele compareceu a loja e se passou por um funcionário de uma universidade, dizendo que estaria em busca de patrocínio para um evento de moda que aconteceria no final de semana. A dona do local então solicitou a ele um documento da universidade, mas não percebeu que o papel não era timbrado e sem a assinatura da coordenadora de curso”, diz o delegado Wellington de Oliveira, responsável pelas investigações.


Nilmar compareceu na loja três vezes na semana passada. No sábado (14), ele se aproveitou do grande movimento da loja e rapidamente entregou o documento a dona, levando consigo sete vestidos de noiva, sete vestidos de festa, seis saiotes, uma coroa e presilha de noiva, além de flores.


Nilmar pegou um táxi próximo ao local e combinou devolver as peças na segunda-feira (16), às 7h, logo na abertura da loja. E a vítima só começou a desconfiar do golpe horas depois.


“Eu esperei até o meio-dia, 13h, o final da tarde e, a noite, procurei a coordenadora do curso de moda. Ela me garantiu que nenhum evento ocorreu e aí fui até o endereço que ele deixou em um cadastro, mas descobri que ele passou o número errado, que era da casa de uma ex-mulher dele”, conta a dona da loja, Mari Gomes.


Ela então entrou em contato com o taxista que ele teria pego e ele contou exatamente onde deixou o estelionatário. Nilmar não estava mais lá. “Na terça-feira (17) entrei em contato com a Polícia e eles me disseram que pegariam Nilmar em qualquer lugar se ele ainda estivesse em Campo Grande e assim foi feito”, explica Mari Gomes.


Em uma rápida ação, os investigadores conseguiram descobrir uma ordem de passagem para o estelionatário, de Campo Grande para a cidade de Curitiba. “Ele foi preso na noite de ontem (18), momentos antes de embarcar”, diz o investigador Fernando Mazoni, que realizou a prisão com a equipe do SIG (Serviço de Investigações Gerais).


Mari Gomes, com oito anos de experiência no ramo, afirma que ficou uma lição. “Agora vou ficar super atenta com as pessoas, não devemos confiar em qualquer um”, fala Mari Gomes.


Nilmar foi encaminhado para as celas da Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro. Réu primário, ele será agora indiciado por estelionato.

Jornal Midiamax