Polícia

Empresário é preso em flagrante acusado de compra de votos em Costa Rica

Foi preso em flagrante acusado de compra de voto por volta das 17h30, desta quinta-feira (3) o empresário Osni Lalier, 46 anos proprietário do depósito de materiais para Construção Cifertelhas, localizado na Avenida José Ferreira da Costa. O local era usado pelo empresário para a prática criminosa que visava beneficiar a sua esposa candidata a […]

Arquivo Publicado em 05/10/2012, às 16h12

None
1838434627.JPG

Foi preso em flagrante acusado de compra de voto por volta das 17h30, desta quinta-feira (3) o empresário Osni Lalier, 46 anos proprietário do depósito de materiais para Construção Cifertelhas, localizado na Avenida José Ferreira da Costa. O local era usado pelo empresário para a prática criminosa que visava beneficiar a sua esposa candidata a vereadora, Eliana Teodoro Lopes Lalier (PR) a “Preta do Osni” e o candidato a prefeito Waldeli dos Santos Rosa (PR) conforme relatado no Boletim de Ocorrência.

Foi apreendido o valor de R$ 1.949,00 em dinheiro que estava acompanhado de centenas de “santinhos” da candidata e do candidato a prefeito Waldeli.

O delegado de Polícia Civil, Cleverson Alves dos Santos recebeu denuncia no meio da tarde de ontem de um eleitor informando que o empresário estaria comprando voto no depósito, o eleitor informou ter recebido um cartão de visita do estabelecimento entregue por um desconhecido para que caso ele não tivesse candidato fosse até o local com o cartão e apresentasse a senha AXX ao proprietário Osni, para receber o dinheiro.

O cidadão foi ouvido pela polícia e orientado a aceitar o dinheiro, R$ 50,00 agora e mais R$ 50,00 após ás eleições. O delegado providenciou junto ao juiz da comarca mandato de busca e apreensão no deposito e acompanhado do promotor de justiça aguardou o denunciante receber a propina, entrou no estabelecimento, constatou a prática e deu voz de prisão ao empresário.

De acordo com o delegado foi apreendido no local uma lista com mais de 200 nomes onde consta o endereço das pessoas, numero do titulo de eleitor, a seção onde votam, em alguns nomes já estava marcado o pagamento no valor de R$ 50,00.

Osni foi indiciado pelo crime de corrupção eleitoral, foi ouvido pelo delegado que estabeleceu fiança no valor de R$ 3.110,00 (cinco salários mínimos) e liberado para responder em liberdade.

Ele poderá ser condenado pela justiça a uma pena de até quatro anos de reclusão.

Outro caso

Por volta das 19h outra denuncia de compra de voto levou o delegado até a Avenida Sebastião Paes Ananias na saída para o município de Figueirão, onde se encontrava a candidata à vereadora Aurea Maria Frezarin Rosa, esposa do candidato Waldeli, porém depois de revistar os carros a denúncia não se confirmou.

Jornal Midiamax