Polícia

Em nota, Polícia Militar diz que subtenente que matou jovem por som alto estava embriagado

A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul emitiu uma nota de esclarecimento sobre a morte do jovem Rodrigo Pereira dos Santos, de 19 anos, que teria sido morto por um subtenente da corporação de folga. Na nota, o Comando-Geral da Polícia Militar admite que o policial estava de folga, que ele estaria embriagado e […]

Arquivo Publicado em 29/07/2012, às 18h33

None

A Polícia Militar de Mato Grosso do Sul emitiu uma nota de esclarecimento sobre a morte do jovem Rodrigo Pereira dos Santos, de 19 anos, que teria sido morto por um subtenente da corporação de folga.


Na nota, o Comando-Geral da Polícia Militar admite que o policial estava de folga, que ele estaria embriagado e que a motivação do crime foi uma discussão após briga por som alto.


Confira a nota na íntegra:


“O Comando-Geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul lamenta o episódio envolvendo um subtenente da PMMS em Naviraí, que na noite de ontem (28/07) numa discussão entre vizinhos veio a ferir com um disparo de arma de fogo um rapaz de 19 anos.


Segundo informações preliminares o militar, que se encontrava em horário de folga, se desentendeu com seus vizinhos no bairro Harry Amorin Costa, aproximadamente às 21h20 deste sábado. O motivo da desavença teria sido em razão de perturbação do sossego.


O militar teria se incomodado com a altura do som de um de seus vizinhos que estava reunido com um grupo de aproximadamente três amigos ingerindo bebida alcoólica na frente de sua residência. O subtenente, que também estava sob efeito de álcool, foi tirar satisfação, houve discussão entre o grupo e ele, e no auge do desentendimento o militar veio a desferir dois disparos de arma de fogo contra o grupo, um tiro atingiu mortalmente o vizinho de 19 anos no abdômen.


O militar, que tinha uma ficha disciplinar excepcional, foi preso em flagrante logo após o fato, a arma da carga da Secretaria de Justiça e Segurança Pública, uma pistola ponto 40, foi apreendida. Será instaurado pela Polícia Militar um Inquérito para apurar as circunstâncias do fato. O subtenente foi transferido para Presídio Militar Estadual em Campo Grande e permanecerá preso até o julgamento do processo”.

Jornal Midiamax