Polícia

Casal é preso no Piauí suspeito de lesar 1,3 mil pessoas em ‘golpe da formatura’

Foragidos há 11 meses, empresários que organizavam eventos de formaturas no Piauí foram presos suspeitos de darem golpes de pelo menos R$ 2,4 milhões em estudantes universitários em Teresina e no interior do Estado. O casal Keila Regina Moreira de Sousa e Fabiano Silva Neves, donos da empresa Styllos Eventos, foram detidos em Goiânia (GO) […]

Arquivo Publicado em 24/08/2012, às 19h53

None
1157247114.jpg

Foragidos há 11 meses, empresários que organizavam eventos de formaturas no Piauí foram presos suspeitos de darem golpes de pelo menos R$ 2,4 milhões em estudantes universitários em Teresina e no interior do Estado. O casal Keila Regina Moreira de Sousa e Fabiano Silva Neves, donos da empresa Styllos Eventos, foram detidos em Goiânia (GO) e apresentados nesta sexta-feira pela Polícia Civil.

O casal vai responder por crime de estelionato por não cumprirem contratos com os formandos. Pelo menos 1,3 mil universitários foram lesados com o golpe. Keila e Neves ofereciam aos graduandos a organização de missas, colações de grau, descerramentos de placa ou bailes. Em um dos casos, os formandos descobriram o calote no dia da formatura e muitos tiveram que ir com roupa de gala até a delegacia para registrar queixa. No Piauí, o casal lesou estudantes de Teresina, Picos e Parnaíba.

O delegado de Picos, Everton Ferreira Férrer, que acompanha o caso do “golpe da formatura”, disse que Keila trabalhava vendendo planos funerários em Goiânia e Neves tentava emprego quando foi preso. “Eles alegaram que tentavam evitar falência da empresa desde 2009, fazendo novos contratos e, com o lucro, tentavam pagar as dívidas, mas não conseguiram, e resultou em um imenso calote”, disse o delegado.

O delegado Ademar da Silva Canabrava, do 12º DP, informou que mais de 400 boletins de ocorrências foram registrados contra o casal somente em Teresina, com alunos de cursos de Direito, Enfermagem, Fisioterapia, Biomedicina e Jornalismo. Segundo ele, funcionários ouvidos no inquérito informaram que Keila e Fabiano gastavam dinheiro em farras na capital do Ceará. “Temos recibos que somente numa noite foram gastos mais de R$ 5 mil em Fortaleza”, revelou o delegado.

Defesa

A empresária Keila Moreno falou durante a apresentação à imprensa e disse que a fuga para Goiânia foi um ato de “desespero” e que se arrepende. Ela argumentou que a empresa enfrentava dificuldades financeiras e por isso não quitou as dívidas.

“Fizemos empréstimos em bancos, vendemos bens e reduzimos gastos. Eu sei que é muito difícil, me coloco na pele do cliente e só me arrependo de ter fugido da minha responsabilidade, porque fiz o máximo que pude para honrar os compromissos mas, infelizmente, não consegui”, disse Keila Moreno.

Jornal Midiamax