Polícia

Polícia apreende aeronaves com munições em MT que pertenceriam à quadrilha com ramificações em MS

O arsenal serviria para abastecer organizações criminosas da região Sudeste, principalmente São Paulo e Rio de Janeiro, e eram comercializadas de dentro de presídio em Goiás pelo traficante Leomar Oliveira Barbosa, mais conhecido como "Playboy".

Arquivo Publicado em 08/05/2011, às 13h47

None

O arsenal serviria para abastecer organizações criminosas da região Sudeste, principalmente São Paulo e Rio de Janeiro, e eram comercializadas de dentro de presídio em Goiás pelo traficante Leomar Oliveira Barbosa, mais conhecido como “Playboy”.

A Polícia Federal de Mato Grosso (PF/MT) apreendeu um arsenal com 6,2 mil munições calibre 762 fabricadas na Bolívia em uma fazenda em Barão de Melgaço (113 km ao Sul da Capital) e mais duas aeronaves em Mirassol D”Oeste (300 km a Oeste da Capital), informou o jornal A Gazeta. A quadrilha que seria dona dos aviões possui ramificações em Mato Grosso do Sul, informou os investigadores do caso.

O arsenal serviria para abastecer organizações criminosas da região Sudeste, principalmente São Paulo e Rio de Janeiro, e eram comercializadas de dentro de presídio em Goiás pelo traficante Leomar Oliveira Barbosa, mais conhecido como “Playboy”. O criminoso é ex-braço direito de Fernandinho Beira Mar. As munições calibre 762 são usadas em fuzis, como o AK 47, muito utilizado por grupos terroristas, como do ex-líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden.

Valmir Alves Pedro apontou o esconderijo à Polícia após ser preso em Goiás, na operação “Casa Nova 3”. Ele é o caseiro da fazenda de “Playboy”, em Barão de Melgaço, e apontou onde estava o arsenal. As munições, armazenadas em um tambor, estavam enterradas na fazenda vizinha do traficante. Valmir pediu ao proprietário que escondesse o material.

A PF foi até a área alagada e localizou as munições. O proprietário da fazenda, que não teve o nome divulgado, foi autuado em flagrante por posse de munição de calibre restrito, que prevê de 3 a 6 anos de prisão, e encaminhado à Penitenciária Central.

Duas aeronaves, utilizadas para fazer o transporte de cargas contrabandeadas da Bolívia foram apreendidas no aeroporto de Mirassol D”Oeste. O delegado regional de Combate ao Crime Organizado da PF, Eder Rosa Magalhães, diz que já havia investigações sobre os aviões e afirma ser comum as fazendas de Mato Grosso serem utilizadas como “entreposto” para armazenamento de munição e drogas.

No Estado, 2 fazendas usadas pelo bando foram sequestradas.

A quadrilha comprava cocaína na Bolívia com traficantes daquele país e a introduzia no Brasil, por meio de aeronaves de pequeno porte. A droga ficava armazenada em Goiás e, posteriormente, era distribuída para o Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e parte do estado goiano. A quadrilha possuía ainda ramificações em Mato Grosso do Sul e Tocantins.

A PF de Goiás iniciou as investigações há 10 meses, constatando que a estrutura da quadrilha era hierarquizada, sendo que cada integrante cumpria um papel específico sem necessariamente se conhecer, reportando todos a Leomar. O traficante centralizava as informações e coordenava a atuação dos demais membros, comunicando suas ordens por meio de telefones celulares e por recados transmitidos a pessoas que o visitavam na Penitenciária Odenir Guimarães, antigo Cepaigo, no estado vizinho. Em ações anteriores, a PF apreendeu mais de 200 kg de cocaína da quadrilha, além de veículos e aviões.

Jornal Midiamax