Polícia

“Não há indícios de plano de sabotagem”, diz polícia sobre merenda escolar

“Até o momento, nada indica um plano de sabotagem. Se ela houve ou não, os laudos deverão dizer”, esclarece o delegado.

Arquivo Publicado em 29/09/2011, às 13h50

None

“Até o momento, nada indica um plano de sabotagem. Se ela houve ou não, os laudos deverão dizer”, esclarece o delegado.

O delegado da 4ª DP, Devair Aparecido Francisco, responsável pelas investigações sobre a causa do mal estar em cerca de 180 alunos da Escola Municipal Iracema Maria Vicente na última terça-feira (27) disse nesta quinta-feira que não há indícios de plano de sabotagem na merenda servida aos alunos. “Até o momento, nada indica um plano de sabotagem. Se ela houve ou não, os laudos deverão dizer”, esclarece o delegado. 
A polícia preservou com fita de isolamento a caixa d’água da escola e recolheu amostras de impressões digitais. “Nós ouvimos a diretora, a vice-diretora e as merendeiras sobre o que aconteceu na terça-feira. Estamos fazendo as oitivas dos vigilantes da escola”, disse Devair. 
Segundo o delegado, funcionários da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) recolheram amostras da merenda e da água e os resultados devem sair entre 15 e 30 dias. “Não descartamos nenhuma hipótese. O prefeito registrou um boletim de ocorrência para averiguar os fatos e é isso que estamos fazendo”, concluiu o delegado. 
A escola deverá abrir somente na próxima segunda-feira, 3 de outubro. A assessoria de comunicação da Prefeitura Municipal de Campo Grande informou que as aulas serão retomadas na semana que vem para que os alunos tenham tempo de se recuperar em casa da intoxicação. 
A Águas Guariroba reafirma que técnicos estiveram na escola na terça-feira e realizaram alguns testes na água, que comprovaram que ela estava livre de contaminação, mas que foram recolhidas mais amostras para realização de outros exames. 
Jornal Midiamax