Polícia

Jovens são presos e confessam que comerciante de Cuiabá mandou matar a esposa

O crime aconteceu na residência do casal, no jardim Presidente I, na capital cuiabana, na última terça-feira

Arquivo Publicado em 17/11/2011, às 12h41

None
894700465.jpg

O crime aconteceu na residência do casal, no jardim Presidente I, na capital cuiabana, na última terça-feira

Daniel Paredes Ferreira, de 20 anos e Maycon José Cardoso Nogueira, de 22 anos, foram presos nesta quarta-feira (16) pela Polícia Rodoviária Federal, na BR-262, próximo ao município de Miranda, após serem abordados em uma fiscalização de rotina. Eles são acusados de assassinar Ângela Cristina Peixoto da Silva e alegam que o marido da vítima encomendou o crime. 

Os policias verificaram que o veículo GM S10, havia sido roubada de Ângela, que foi morta durante o roubo, conforme investigações iniciais.
Os jovens foram encaminhados para a Delegacia Especializada em Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Seqüestros (Garras), onde contaram que não teria sido um latrocínio, mas um assassinato encomendado pelo próprio marido da vítima.

Segundo os autores, o marido os contratou pelo valor de R$ 1.500, mais os produtos roubados e a caminhonete. Um terceiro envolvido está sendo investigado pela polícia cuiabana.

A equipe do Garras checou as informações com os investigadores de Cuiabá e os dados coincidem.

Confissão

Os jovens foram contratados pelo marido da vítima para matá-la. Os dois informaram que o pagamento, além da parte em dinheiro, seria o que fosse subtraído do interior da residência no dia do crime.

Os autores declararam ainda, que após contatos telefônicos com o mandante e de posse do controle do portão eletrônico, acertaram a data e hora para a execução de Ângela.

Na noite da última terça-feira (15), os acusados entraram na residência e mataram a vítima e roubaram objetos da casa e levaram a GM S10, cor preta e tinham a intenção de vendê-la na Bolívia.

Após o contato com as equipes da Polícia Civil do Mato Grosso, foram presos o suposto mandante, marido da vítima, um terceiro elemento, além de drogas e produtos do roubo.

Prisão

Ângela foi assassinada com 17 facadas e, segundo informações da Polícia Civil, o assalto foi simulado para encobrir a morte da vendedora, a mando de seu marido, Damião Rezende.

O comerciante foi preso na saída do cemitério Parque Bom Jesus, onde a vítima foi sepultada.

O motivo do crime ainda não foi revelado e Rezende afirma que não premeditou a morte da esposa.
No dia do crime estavam na residência à vítima, o marido e uma criança, filha do casal.

Na casa de um dos suspeitos, foram apreendidos 13 quilos de pasta base e vários componentes químicos utilizados para o refino de entorpecentes.

Jornal Midiamax