Polícia

Jornalista brasileiro preso na Líbia chega a Paris

O repórter Andrei Netto, correspondente do jornal “O Estado de São Paulo”, chegou a Paris neste sábado (12). O jornalista deixou Trípoli, na Líbia, na manhã desta sexta-feira (11), segundo o jornal. Netto ficou preso durante oito dias, após ter sido capturado por tropas leais ao ditador Kadhafi. No desembarque, Netto disse que foi bem […]

Arquivo Publicado em 12/03/2011, às 17h30

None

O repórter Andrei Netto, correspondente do jornal “O Estado de São Paulo”, chegou a Paris neste sábado (12). O jornalista deixou Trípoli, na Líbia, na manhã desta sexta-feira (11), segundo o jornal. Netto ficou preso durante oito dias, após ter sido capturado por tropas leais ao ditador Kadhafi. No desembarque, Netto disse que foi bem tratado e alimentado, mas houve violência. “Eles foram violentos não no sentido de nos agredir intensamente. Só tomei uma coronhada na cabeça. Mas a agressão estava na linguagem, nos gritos, nas mensagens pró-Kadhafi, na forma como nos empurravam e ostentavam armas”, relatou à equipe de reportagem da Globo News 


 O repórter também comentou sobre o medo que teve no momento em que foi capturado. “Algemado, vendado, no deserto provavelmente, no frio… O que passa pela cabeça? Passa pela cabeça a execução”, disse. Segundo as informações passadas pelo Estadão em uma coletiva em São Paulo nesta quinta-feira (10), o jornalista “foi preso quando tentava legalizar sua situação de entrada no país”. “A condição para a minha libertação era que eu fosse expulso do país. O que me deixaram muito claro é que eu estava saindo graças à ação da embaixada brasileira em Trípoli. Ou seja, do embaixador George Ney Fernandes e do Itamaraty. E graças, em especial, à relação entre os dois países, Líbia e Brasil”, disse Netto à Rádio Eldorado.

Jornal Midiamax