Polícia

Comandante da PRE-MS pede escolta após remover policiais que atuavam na fronteira

O comandante da Polícia Militar Rodoviária de Mato Grosso do Sul (PRE – Polícia rodoviária Estadual), Major Joilson Queiroz, está recebendo proteção de uma escolta especial desde a semana passada. O major confirmou a informação hoje pela manhã, mas disse que não estava autorizado a comentar o caso. Por telefone, o Major Joilson confirmou a informação, […]

Arquivo Publicado em 26/09/2011, às 14h09

None
704751945.jpg

O comandante da Polícia Militar Rodoviária de Mato Grosso do Sul (PRE – Polícia rodoviária Estadual), Major Joilson Queiroz, está recebendo proteção de uma escolta especial desde a semana passada. O major confirmou a informação hoje pela manhã, mas disse que não estava autorizado a comentar o caso.

Por telefone, o Major Joilson confirmou a informação, mas disse que “outros detalhes” só poderiam ser passados pelo comandante geral da Polícia Militar de Mato Grosso do Sul, Coronel Carlos Alberto Davi. Procurado pela reportagem, o coronel Davi se limitou a informar que o comando está preparando nota oficial sobre o assunto.


De acordo com as primeiras informações, Major Joilson teria realizado “uma espécie de limpeza, uma faxina geral na polícia que atua nas regiões de fronteira de Mato Grosso do Sul”. Na semana passada foram publicadas no Diário Oficial do Estado as ordens de remoção de diversos policiais que atuavam nas bases de fiscalização da região de fronteira.


Há ainda informações dando conta de que o Major Joilson estaria sofrendo ameaças por ter desmantelado um esquema de corrupção envolvendo a cobrança de propinas.


Nota oficial


A nota emitida pelo Comando da PM atribui a escolta do Major por policiais da Cigcoe (Companhia Independente de Policiamento de Crises e Operações Especiais) ao fato de ele estar sendo ameaçado por organizações criminosas depois de intensificar o trabalho na fronteira. Veja a íntegra da nota:


“Oficial da PM tem escolta da CIGCOE em razão de ameaças sofridas


O Major  PM Joilson Queiroz Sant’Ana, comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar Rodoviário (14º BPMRv), desde 16 de setembro de 2011 passou a ter escolta diuturna executada por policiais militares da Companhia Independente de Policiamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe) em razão de constantes ameaças que vinha recebendo.


O Comando da Instituição atribui às ameaças a retaliação do crime organizado, especialmente aqueles vinculados ao tráfico de drogas e contrabando de mercadorias do Paraguai e da Bolívia, que foram fortemente atingidos pelo trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Major Joilson à frente do 14º BPMRv desde que assumiu o comando da unidade em 4 de fevereiro de 2011, intensificando a fiscalização nas rodovias estaduais o que resultou na apreensão de mais de 14 toneladas de maconha no período de seis meses e de 376 ocorrência envolvendo contrabando e descaminho, incluindo a apreensão de grande número de cigarro vindos dos países vizinhos.


O Comandante da Polícia Militar informa que a Agência Central de Inteligência já está levantando informações que levam aos possíveis autores das ameaças e que a escolta ao Major permanecerá até que o risco à sua integridade física cesse, “Preciso garantir condições de trabalho ao Major Joilson que vem, por ordem deste Comando, empreendendo forças no sentido de combater, sem tréguas, o tráfico de drogas, o contrabando e o descaminho, prestando um serviço essencial para a sociedade sul-mato-grossense”, informou o Coronel Carlos Alberto David dos Santos, Comandante-Geral da PMMS.”


(Matéria editada às 11h42 para acréscimo de informações. // Título alterado: Comandante da PRE-MS pede escolta após remover policiais que atuavam na fronteira)

Jornal Midiamax