Polícia

Transferência de Beira-Mar faz parte de um rodízio de presos

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, deverá ficar preso por tempo indeterminado na penitenciária de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná. Sua transferência do presídio federal de Campo Grande para o Paraná, realizada no sábado (18), faz parte de um sistema de rodízio aplicado ao traficante desde 2006, quando foi o primeiro […]

Arquivo Publicado em 19/12/2010, às 23h44

None

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, deverá ficar preso por tempo indeterminado na penitenciária de segurança máxima de Catanduvas, no Paraná. Sua transferência do presídio federal de Campo Grande para o Paraná, realizada no sábado (18), faz parte de um sistema de rodízio aplicado ao traficante desde 2006, quando foi o primeiro preso a ocupar uma cela da prisão paranaense. A informação é da assessoria da Polícia Federal.


Os juízes das Varas de Execuções Penais Federais são os responsáveis por essas alterações.


Em 2007, Beira-Mar foi para Campo Grande, onde permaneceu até sábado. Um grupo de 20 policiais do Departamento Penitenciário e da Polícia Federal participou da ação.


Beira-Mar cumpre um Regime Disciplinar Diferenciado, onde fica em isolamento total e é observado por 24 horas. A Penitenciária de Catanduvas tem 208 vagas para presos considerados perigosos.


Esta foi a 12ª transferência de Beira-Mar desde abril de 2001, quando foi preso em uma ação conjunta da polícias de Colômbia e Brasil. Desde então, ele já passou pelos presídios de Bangu, no Rio de Janeiro, Maceió, Florianópolis e Brasília.


Em Catanduvas, Beira-Mar terá a companhia de traficantes presos durante a operação policial no Complexo do Alemão. Entre os detidos estão Elizeu Felício de Souza, o Zeu, que também é acusado pela morte do jornalista Tim Lopes, em 2002.

Jornal Midiamax