Polícia

População quer impedir participação de vereadores que foram presos na sessão da Câmara de Dourados

Um grupo de manifestantes quer impedir a entrada dos vereadores envolvidos na Operação Uragano na primeira sessão da Câmara depois do escândalo que abalou as estrutura políticas de Dourados. A sessão está prevista para começar logo mais às 9h com algumas novidades como a posse do suplente Cido Medeiros (DEM) que ocupa o lugar do também suplente […]

Arquivo Publicado em 09/09/2010, às 11h32

None

Um grupo de manifestantes quer impedir a entrada dos vereadores envolvidos na Operação Uragano na primeira sessão da Câmara depois do escândalo que abalou as estrutura políticas de Dourados. A sessão está prevista para começar logo mais às 9h com algumas novidades como a posse do suplente Cido Medeiros (DEM) que ocupa o lugar do também suplente Idenor Machado (DEM), nomeado para a Secretaria de Educação.


Idenor, por sua vez, estava no lugar de Paulo Henrique Bambu que antes de ser preso pela Uragano havia pedido uma licença de sessenta dias. No final da tarde de ontem o vereador Zezinho da Farmácia (PSDB) renunciou ao cargo de vice-presidente da Mesa Diretora da Câmara. Já os vereadores Edvaldo Moreira (PDT) e Marcelo Hall (PR) que continuam presos pediram afastamento da Câmara por trinta dias. Hall já estava licenciado da Câmara porque ocupava o cargo de Secretário de Serviços Urbanos.


No lugar de Edvaldo/Marcelo Hall deverá ser empossado o primeiro suplente da coligação o ex-vereador Cemar Arnal (PR), porém Cemar poderá ter a posse contestada pelo PDT seu ex-partido, uma vez que ele trocou de sigla meses atrás para poder ocupar o cargo de presidente do IMAM (Instituto de Meio ambiente). Neste caso ficaria configurado “infidelidade partidária” e o suplente imediato seria Romualdo Ramin (PDT).


A grande expectativa é que os vereadores Tio Júlio Artuzi (PRB), Marcelo Barros (DEM), José Carlos Cimatti (PSB) e Aurélio Bonatto (PDT), que foram presos pela Uragano mas já estão soltos, compareçam a sessão de hoje uma vez que eles ainda não perderam os mandatos.
Continuam presos os vereadores Sidlei Alves (DEM), presidente da Câmara, Humberto Teixeira Junior (PDT); Zezinho da Farmácia (PSDB) e Edvaldo Moreira (PDT).

Jornal Midiamax