Polícia

Polícia indicia por homicídio rapazes que teriam matado estudante durante racha

A Polícia Civil encerrou o inquérito sobre a morte da estudante de direito Mayana de Almeida Duarte, 23, que foi atingida pelo Vectra conduzido por Anderson Moreno, 19. Ele disputava um "racha" com Willian Johnny, 25, no centro de Campo Grande

Arquivo Publicado em 20/10/2010, às 11h44

None

A Polícia Civil encerrou o inquérito sobre a morte da estudante de direito Mayana de Almeida Duarte, 23, que foi atingida pelo Vectra conduzido por Anderson Moreno, 19. Ele disputava um “racha” com Willian Johnny, 25, no centro de Campo Grande

A Polícia Civil encerrou o inquérito sobre a morte da estudante de direito Mayana de Almeida Duarte, 23, que foi atingida pelo Vectra conduzido por Anderson Moreno, 19. Segundo as investigações do delegado Márcio Custódio, o jovem disputava um “racha” com Willian Johnny, 25, na madrugada do último dia 14 de junho em Campo Grande.

Mayana trafegava com o seu carro Celta pela rua José Antonio quando foi atingida pelo carro de Anderson, que segundo o inquérito, estava a 110 km/h. Segundo três testemunhas que prestaram depoimento, o sinal de Mayana estava aberto.

No inquérito também consta que ambos estavam bêbados e tinham acabado de sair de uma casa noturna onde ingeriram sete garrafas de cervejas e duas doses de tequila, de acordo com a nota de consumo do local.

Passado comprometedor

A polícia também acredita que Anderson já participava de rachas em Campo Grande com o carro do pai, por causa de algumas marcas no veículo. Quando adolescente, Anderson já respondeu por Lesão Corporal Culposa, ou seja, já havia atropelado uma pessoa segundo a polícia.

Os dois responderão judicialmente em liberdade por homicídio doloso e podem pegar até 30 anos de prisão. Mayana ficou gravemente ferida e morreu dez dias depois, na madrugada do dia 24 de junho às 23h30 na Santa Casa de Campo Grande.

Jornal Midiamax