Polícia

Fim do Cartel da gasolina em Dourados vira caso de polícia

Empresário Márcio Adriano Pricinato registrou a ocorrência e alega que quer preservar os seus direitos e está preocupado com a propaganda feita

Arquivo Publicado em 26/01/2010, às 12h14

None

Empresário Márcio Adriano Pricinato registrou a ocorrência e alega que quer preservar os seus direitos e está preocupado com a propaganda feita

Que o preço da gasolina em Dourados caiu cerca de cinqüenta centavos e hoje é vendida em praticamente todos os postos em média por R$ 2,50 é uma verdade consolidada.

Mas o quem ninguém esperava é que o “fim do cartel” iria se transformar em caso de polícia e com o envolvimento do novo prefeito Ari Artuzi (PDT). A paternidade pelo título cidade com “a gasolina mais barata de Mato Grosso do Sul” transformou-se em matéria policial e numa disputa política por causa de um adesivo.

No início da noite desta segunda-feira, o empresário Márcio Adriano Pricinato sócio do Auto Posto Bela Vista foi até ao primeiro distrito policial e registrou um boletim de ocorrência por causa de um adesivo que foi jogado da janela de um carro no pátio de sua empresa.

Márcio é filho do agricultor Paulo Meneguelli Pricinato que foi conhecido em Dourados por ser o responsável em acabar com o “Cartel da Gasolina” ao abrir em outubro um posto de combustível e vender o litro da gasolina por apenas R$ 2,45 obrigados os mais de cinqüentas postos a reduzir o preço que chegou ate R$ 2,99.

Na delegacia, Marcio Pricinato disse ao delegado Sandro Márcio Pereira que por volta das 16h30 desta segunda-feira uma pessoa não identificada lançou da janela de um carro em movimento um adesivo com as inscrições “Combustível + barato do MS, Obrigado Artuzi”.

Segundo Márcio o adesivo continha o desenho de uma mão com o dedo polegar em riste lembrando o símbolo adotado pela administração de Artuzi.

O empresário afirmou no boletim de ocorrência número 301/2010 que “após informações de quais empresas poderiam executar aquele serviço gráfico, esteve na Gráfica Seriart localizada na Rua Mato Grosso, 1331 onde foi perguntado ao atendente que se no local estaria sendo feito adesivos do Ari Artuzi sobre combustível, sendo respondido que sim e estavam confeccionando cerca de quatro mil”.

Márcio Pricinato afirmou que “o posto foi inaugurado há alguns meses com a proposta de possuir o combustível mais barato de Dourados”. “Desde então, segundo depoimento do empresário, vários postos da concorrência tem reduzido os preços do combustível, diminuindo a média de preço praticado em Dourados”.

O empresário disse que registrou a ocorrência na Polícia como forma de preservar os seus direitos e por ficar preocupado com a propaganda feita no adesivo e eventual ligação de seu posto de combustível com personalidades política. Márcio disse que no início do mês saiu em jornais da cidade matérias dizendo que o prefeito era o responsável pelo fim do Cartel. “Procurei a Polícia para comunicar o fato e se resguardar de eventuais problemas relativos a esta propaganda feito neste adesivo”, disse Márcio.

A “richa” do prefeito Ari Artuzi com o Paulo Pricinato começou no dia 15 de janeiro quando foi publicada uma nota na coluna Malagueta do jornal O Progresso onde foi colocado que o prefeito Artuzi foi o responsável pelo que foi chamado de “fenômeno” que resultou na queda do preço da gasolina e no fim do cartel. Na coluna o prefeito diz que ajudou o dono do posto a conseguir a documentação necessária na ANP (Agência Nacional do Petróleo).

Três dias depois em 18 de janeiro na mesma coluna foi publicado um “desmentido” a pedido do empresário Paulo Pricinato que negou que tenha feito um acordo com o prefeito para conseguir a licença na ANP. Segundo a nota publicada anteriormente pelo prefeito a condição para ajudar Pricinato seria reduzir o preço da gasolina e acabar com o cartel.

Paulo Pricinato disse que contou com o apoio de vários políticos, entre eles Artuzi, o senador Delcídio do Amaral (PT), os deputados estaduais Ary Rigo (PSDB) e Zé Teixeira (DEM). Na última quinta-feira Paulo Pricinato reuniu um grupo de amigos no pátio do seu posto para comemorar sua filiação ao DEM (Democratas) fato que desagradou o prefeito.

O adesivo que está sendo impresso na Seriart pegou de surpresa Marcio Pricinato que espera que o caso seja investigado para. Segundo ele o prefeito está “pegando carona” no caso para ter dividendos políticos. O adesivo jogado no pátio do Posto foi anexado ao Boletim de Ocorrência e conforme afirmou o delegado Sandro Pereira deverá ser encaminhado ao Ministério Público.

Jornal Midiamax