Polícia japonesa admite falhas em segurança em atentado contra ex-premiê Shinzo Abae

O ex-primeiro-ministro japonês, Shinzo Abae, morreu ao ser baleado em um comício
| 09/07/2022
- 12:53
Polícia japonesa admite falhas em segurança em atentado contra ex-premiê Shinzo Abae
O ex-primeiro-ministro japonês Shinzo Abe | Reprodução/NHK

A polícia japonesa acabou admitindo que ocorreram falhas na , que acabou na morte do ex-primeiro-ministro Shinzo Abae, nessa sexta-feira (8), quando o premiê foi baleado em um comício, na cidade de Nara, perto de Quioto.

"Acho que não há dúvidas que existiram problemas nas medidas de guarda e de segurança do ex-primeiro-ministro Abe", disse o chefe da polícia de Nara, Tomoaki Onizuka, segundo o Portal UOL. Ele prometeu uma vasta investigação sobre o caso e "tomar todas as medidas necessárias".

O velório do ex-primeiro-ministro será realizado na segunda-feira (11), com funeral marcado para a terça-feira (12) para os familiares e pessoas que eram próximas de Shinzo Abae. 

Na manhã deste sábado (9), mídias japonesas mostraram a entrada do carro fúnebre na da família de Shinzo Abae. 

O ataque

Um suspeito foi detido no ataque, Tetsuya Yamagami, com cerca de 40 anos. Ele é suspeito do homicídio e com ele foi apreendido uma arma.

Shinzo Abe, de 67 anos, foi primeiro-ministro do Japão entre 2006 e 2007 e, mais tarde, entre 2012 e 2020.

O comício realizado na cidade de Nara acontecia antes das eleições para o Senado japonês, marcadas para domingo (10). Abe discursava em apoio a Kei Sato, um membro da câmara alta do Parlamento que concorre à reeleição como representante da cidade de Nara.

Veja também

Últimas notícias