Mundo

Navio que encalhou no Canal de Suez está parado novamente, mas por outro motivo

Autoridades do canal pedem uma indenização de US$ 916 milhões contra o proprietário japonês do navio

Gabriel Neves Publicado em 14/04/2021, às 11h43

O porta-contêiner está estacionado em um lago que separa duas seções do canal.
O porta-contêiner está estacionado em um lago que separa duas seções do canal. - (Foto: Reprodução/Maxar Technologies)

O navio Ever Given, que ficou conhecido no mundo inteiro após bloquear o Canal de Suez por quase uma semana, em março, está novamente parado na hidrovia.

Sem bloquear nenhuma passagem, o motivo da parada é outro. As autoridades do canal buscam uma indenização de US$ 916 milhões contra o proprietário japonês do navio.

O porta-contêiner, de propriedade de Shoei Kisen, está estacionado em um lago que separa duas seções do canal, desde que foi desencalhado em 29 de março.

Fontes da Autoridade do Canal de Suez (SCA), que não quiseram ser identificadas, disseram que uma ordem judicial havia sido emitida para que o navio fosse detido. As negociações sobre o pedido de indenização ainda estavam em andamento, segundo uma das fontes.

"Em 12 de abril, uma oferta generosa e cuidadosamente considerada foi feita à SCA para resolver sua reclamação. Estamos decepcionados com a decisão subsequente da SCA de prender o navio hoje".

Mais cedo na terça-feira, Yumi Shinohara, vice-gerente do departamento de gestão de frota do proprietário Shoei Kisen, confirmou que o canal havia feito um pedido de indenização e que o navio não tinha recebido autorização para partir, mas não deu mais detalhes.

Na semana passada, dias após o fim do engarrafamento de navios no Canal de Suez, a travessia no canal foi novamente interrompida por "cerca de dez minutos'' após um o navio petroleiro M/ T Rumford apresentar problema no motor.

*Com informações do jornal O Globo.

Jornal Midiamax