Homem morre após tratar Covid com ivermectina nos EUA

Esposa da vítima lutou na justiça para usar o medicamento
| 17/12/2021
- 15:40
Homem morre após tratar Covid com ivermectina nos EUA
Reprodução

Morreu no último domingo (12) um homem, de 52 anos, que estava internado com em estado grave, na Pensilvânia (EUA) Após sua esposa recorrer à justiça o uso legal de ivermectina, medicamento sem comprovação contra o coronavírus.

Segundo informações do jornal britânico The Independent, Keith Smith não resistiu ao tratamento, quando tomou a segunda dose do remédio. Ele ficou internado por quase um mês e estava na Unidade de Terapia Intensiva em coma induzindo e com ventilador pulmonar.

Sua esposa, Darla Smith, percebeu que o quadro de saúde do marido era grave e estava piorando, ela foi à justiça para que o hospital tratasse-o com ivermectina.

O juiz do tribunal do Condado de York, Clyde Vedder permitiu no dia 3 de dezembro que Darla procurasse um médico independente para administrar o marido, no entanto, o hospital não teria obrigatoriedade de tratar o paciente com o medicamento solicitado por ela.

"Ele é o amor da minha vida, e estou completamente perdida e vazia sem ele. Neste ponto, não há nada mais que [o hospital] possa fazer, ou faça, por meu marido" Declarou a esposa ao Tribunal "No entanto, não posso desistir dele, mesmo que o [hospital] tenha... Ficando sem opções, comecei a pesquisar outras opções de tratamento covid-19." Concluiu.

O medicamento de ivermectina, é usado como antiparasitário, há aprovação, em doses específicas, para tratar vermes parasitas em humanos, como piolhos. Mas não é um antiviral.

Darla, faz parte do grupo Front Line Covid-19 Critical Care Alliance, eles promovem e aconselham o uso da droga no tratamento do coronavírus.

Segundo o jornal, vários posts virais em grupos conservadores das redes sociais, impulsionados em parte por um serviço de telemedicina pró- que vende prescrições para ivermectina.

A Organização Mundial da Saúde informou em março que a eficácia do medicamento no tratamento da Covid -19 permanecia não comprovada, segundo a Food and Drug Administration o uso do medicamento não se mostrou promissor em testes pré-clínicos.

Veja também

A informação foi dada por dois diplomatas da União Europeia

Últimas notícias