Mundo

China considera misturar vacinas para elevar taxa de proteção contra Covid-19

Notícia foi divulgada pelo Centro de Controle de Doenças

Renata Fontoura Publicado em 11/04/2021, às 14h15

País produzirá três bilhões de doses até o fim deste ano
País produzirá três bilhões de doses até o fim deste ano - Getty Images

A maior autoridade de controle de doenças da China afirmou que o país está formalmente considerando misturar vacinas contra Covid-19 para aumentar a eficácia da vacina. 

De acordo com reportagem da CNN Brasil, há dados disponíveis que mostram vacinas chinesas ficando atrás de outras como as da Pfizer e da Moderna em termos de eficácia, mas que requerem um controle menos rígido de temperatura para armazenagem. 

As vacinas disponíveis atualmente "não têm taxas muito altas de proteção", disse Gao Fu, diretor do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da China, em entrevista coletiva na cidade de Chengdu neste último sábado (10). "Inoculação usando vacinas de diferentes linhas técnicas está sendo considerada", afirmou.

A China desenvolveu quatro vacinas domésticas aprovadas para uso público. Uma autoridade disse no sábado que o país provavelmente produzirá 3 bilhões de doses até o fim desse ano. 

Jornal Midiamax