Mundo

Restaurante mais antigo do mundo luta para não fechar com pandemia de Covid-19

Inaugurado em 1725, o restaurante Botín, em Madri, na Espanha, é considerado o mais antigo do mundo, segundo o livro dos recordes Guiness. Como a maioria dos comércios do ramo, o Botín ficou fechado durante os dias de restrições mais severas na Europa. Segundo o gerente do local, os pratos servidos são típicos da culinária […]

Danielle Errobidarte Publicado em 10/08/2020, às 09h09

Restaurante Botín, em Madri, foi fundado em 1725. (Foto: Reprodução/ CNN Brasil)
Restaurante Botín, em Madri, foi fundado em 1725. (Foto: Reprodução/ CNN Brasil) - Restaurante Botín, em Madri, foi fundado em 1725. (Foto: Reprodução/ CNN Brasil)

Inaugurado em 1725, o restaurante Botín, em Madri, na Espanha, é considerado o mais antigo do mundo, segundo o livro dos recordes Guiness. Como a maioria dos comércios do ramo, o Botín ficou fechado durante os dias de restrições mais severas na Europa.

Segundo o gerente do local, os pratos servidos são típicos da culinária espanhola e vai de cordeiro à leitão assado. Antes da pandemia, chegavam ao restaurante carregamentos de porcos e cordeiros três a quatro vezes por semana. “Quando fechamos, ficamos devastados porque nunca havíamos fechado antes. Mesmo durante a Guerra Civil Espanhola, meu avô manteve o Botín aberto”, disse Antonio González.

Também é possível consumir em salas antigas, incluindo a favorita do público, a adega. González classifica o Botín como um “museu de restaurantes”.

O restaurante reabriu no dia 1º de julho, com apenas parte dos clientes. Conforme explica o gerente, antes eles costumavam receber 600 pessoas por dia. Hoje, são apenas 60 clientes, em média. González vê o período de pandemia como um momento para reflexão. “Não vejo a hora de sair dessa crise e ser mais forte e melhor que antes. É uma oportunidade fantástica para refletir e melhorar o que pudermos”.

História

A casa foi inaugurada há quase três séculos por um cozinheiro francês chamado Jan Botín, mas era mais uma taberna do que um restaurante. Durante o século 18, o local cozinhava apenas o que os próprios clientes levavam. Isso porque, na época, era proibido vender comida, já que poderia prejudicar outros negócios.

O restaurante foi passando por membros da família Botín até o século 20. Os avós de González compraram o local em 1930 e continuaram expandindo. Ao longo dos anos, muitos autores notáveis frequentaram a casa, do escritor norte-americano Ernest Hemingway a F. Scott Fitzgerald. Alguns deles inclusive mencionaram o Botín em suas obras, como Hemingway em O sol também se levanta.

O local recebeu diversas gerações de clientes, e felizmente não vai ser retirado do Guinness por ter fechado durante a pandemia.

(Com informações da CNN Brasil)

Jornal Midiamax