Mundo

Autoridades do Paraguai ainda não sabem quem é dono de carga recorde de cocaína

Passados praticamente dois meses da apreensão de quase três toneladas de cocaína em Porto Porto de Terport, em Villeta, na região Metropolitana de Assunção,  as autoridades paraguaias ainda não conseguiram identificar os donos da droga. Até agora, somente duas pessoas foram indiciadas na operação que encontrou drogas em sacos de carvão vegetal que seriam exportados […]

Marcos Morandi Publicado em 10/12/2020, às 11h23

Droga estava em carga de carvão vegetal. (Foto: Divulgação)
Droga estava em carga de carvão vegetal. (Foto: Divulgação) - Droga estava em carga de carvão vegetal. (Foto: Divulgação)

Passados praticamente dois meses da apreensão de quase três toneladas de cocaína em Porto Porto de Terport, em Villeta, na região Metropolitana de Assunção,  as autoridades paraguaias ainda não conseguiram identificar os donos da droga.

Até agora, somente duas pessoas foram indiciadas na operação que encontrou drogas em sacos de carvão vegetal que seriam exportados para Israel. Segundo a procuradora Elba Cáceres, Cristian Turrini e Alberto Ayala Jacquet respondem ao processo aberto no Paraguai, de acordo com informações do ABC Color.

Ela também afirmou que as investigações apontam para o envolvimento de Ariel Aquino e Andrés Fernández, que trabalharam no embarque de carvão. Segundo Elba, eles tinham relações comerciais com os acusados, mas até agora não foi encontrado nenhum “fio condutor,” condutor que possa incriminá-los.

Por outro lado, Cáceres destacou que agora começam a fazer uma investigação patrimonial nas propriedades do empresário Cristian Turrini, que supostamente coordenou o transporte da carga. “Estamos investigando várias outras pessoas”, disse ela.

Jornal Midiamax