Mundo

Após ter voo cancelado, jogador ficou preso em aeroporto na Índia por 72 dias durante pandemia

Com avanço da pandemia jogador se programou para voltar para casa, mas teve viagem cancelada ficando preso no aeroportor por 72 dias.

Ana Paula Chuva Publicado em 08/06/2020, às 10h48

Reprodução
Reprodução - Reprodução

Aos 23 anos, o jogador ganês Randy Juan Muller se viu em uma situação jamais imaginada em sua vida. Ele ficou preso por 72 dias no aeroporto de Mumbai, na índia, após ter seu voo cancelado em razão da pandemia do coronavírus (covid-19).

De acordo com o jornal Extra, Randy teve a história comparada inclusive com o personagem deTom Hanks no filme ‘O Terminal’. Ele chegou ao país em novembro de 2019 para jogar pelo ORPC Sports Clubes, equipe de Querela, mas com o avanço da pandemia se programou para voltar para casa.

Já com a passagem comprada, Muller teve a viagem cancelada após o governo indiano determinar a suspensão de voos internacionais e acabou ficando preso no aeroporto sem dinheiro para hospedagem e comida.

“ Vim para cá com um visto de seis meses. Ganhamos apenas de 2 mil a 3 mil rupias indianas por jogo (entre R$ 132 e R$ 198). Eu quase não havia jogado e já havia gastado 150 mil rupias (quase R$ 10 mil) com passagens e visto”, relatou o jogador ao “Mumbai Mirror”.

“Quando o lockdown foi anunciado na Índia, eu planejei a minha volta e comprei uma passagem, mas, antes que eu pudesse embarcar, o governo cancelou todos os voos internacionais, e eu fique preso aqui”, completou.

O jogador ficou no aeroporto entre os dias 21 de março a 3 de junho e, quando teve sua história compartilhada no Twitter, o presidente da Federação de Futebol de Mumbai Aaditya Thackeray levou Randy para um hotel até que um voo de resgate seja disponibilizado.

Durante o período que esteve no aeroporto, ainda de acordo com o jornal Extra, Randy contou com a ajuda de funcionários da segurança do terminal e policiais que davam dinheiro para a comida e arranjando cobertores para passar as noites.

“Eu sabia que não podia desistir e me via como um soldado. Toda semana eu pensava que o lockdown chegaria ao fim, mas ele apenas se tornava mais longo”, desabafou o ganês, agora mais perto da volta para casa.

Jornal Midiamax