Esfaqueamento coletivo deixa três mortos e 16 crianças feridas no Japão

Em Kawasaki, Japão, duas pessoas morreram e outras 16 crianças ficaram feridas em um esfaqueamento coletivo que ocorreu na terça-feira, sendo uma delas uma garota de 12 anos. O ato raro de violência pública surpreendeu o país, que é considerado um dos mais seguros do mundo. De acordo com as autoridades local, o ataque ocorreu perto de […]
| 28/05/2019
- 14:51
Foto: reprodução
Foto: reprodução - Foto: reprodução

Em Kawasaki, , duas pessoas morreram e outras 16 crianças ficaram feridas em um coletivo que ocorreu na terça-feira, sendo uma delas uma garota de 12 anos. O ato raro de violência pública surpreendeu o país, que é considerado um dos mais seguros do mundo.

De acordo com as autoridades local, o ataque ocorreu perto de um parque na cidade de Kawasaki, a 21 quilômetros de Tóquio. A polícia disse que 19 pessoas foram esfaqueadas, incluindo as duas vítimas que morreram.

A menina morta se chamava Hanako Kuribayashi e a outra vítima era Satoshi Oyama, um funcionário do governo de 39 anos. O suspeito também morreu com uma “ferida auto-infligida”, informou a emissora pública japonesa NHK. Os policiais disseram à emissora que o homem que aparentava ter entre 40 e 50 anos e se auto esfaqueou no pescoço.

O primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, disse que o ataque foi “devastador”. “Precisamos manter nossas crianças a salvo a todo custo”, disse Abe aos repórteres. “Eu instrui os ministros relacionados a tomar medidas imediatas para garantir a segurança das crianças ao ir e sair da escola.”

NHK informou na terça-feira, que três pessoas – incluindo um estudante do ensino fundamental – estavam em estado crítico. Não está claro se a garota que morreu estava entre eles.

O Japão é considerado um dos países desenvolvidos mais seguros do mundo. E se vangloria de uma das taxas mais baixas de homicídio do mundo, de acordo com o Escritório de Drogas e Crime das Nações Unidas.

Vários moradores da região disseram que ficaram chocados com o fato de que tal ataque poderia ocorrer em uma cidade que normalmente é tranquila.

Kosuzu Sunayama, 26, que mora perto de onde os esfaqueamentos ocorreram, disse que ela podia ouvir os gritos de sua casa. “Não é o tipo de lugar para se ter um incidente desse tipo. Não é o tipo de lugar para se ter notícias tão horríveis”, disse Sunayama. “Meu coração está doendo.”

Os esfaqueamentos em massa são extremamente raros no Japão. Em 2016, 19 pessoas foram mortas em uma casa de repouso para pessoas com deficiência – a morte em massa mais letal no Japão desde o final da Segunda Guerra Mundial.

O Japão também regula estritamente as armas, e é ilegal que as pessoas carreguem um canivete, faca artesanal, faca de caça ou um cortador de caixas em público, segundo o Departamento de Estado dos EUA.

O incidente de terça-feira ocorreu durante a visita do presidente dos EUA, Donald Trump ao país. Falando a bordo de um helicóptero japonês, Trump disse que o povo americano sofria pelas famílias das vítimas.

As informações são da CNN

Veja também

Votação unânime foi formalidade já que Tedros era o único candidato

Últimas notícias