Mundo

Representante da UE vê “fadiga democrática” em triunfo de Bolsonaro

O comissário europeu de Assuntos Econômicos, o francês Pierre Moscovici, avaliou nesta segunda-feira (29) que o triunfo do presidente eleito Jair Bolsonaro se deve a uma espécie de “cansaço democrático”, que vinculou com as sequelas da crise, da qual se aproveitou o próximo presidente do Brasil. Em entrevista à emissora francesa Public Sénat, Moscovici disse […]

Agência Brasil Publicado em 29/10/2018, às 14h13

Comissário europeu Pierre Moscovivi (Foto:Reprodução/Facebook)
Comissário europeu Pierre Moscovivi (Foto:Reprodução/Facebook) - Comissário europeu Pierre Moscovivi (Foto:Reprodução/Facebook)

O comissário europeu de Assuntos Econômicos, o francês Pierre Moscovici, avaliou nesta segunda-feira (29) que o triunfo do presidente eleito Jair Bolsonaro se deve a uma espécie de “cansaço democrático”, que vinculou com as sequelas da crise, da qual se aproveitou o próximo presidente do Brasil.

Em entrevista à emissora francesa Public Sénat, Moscovici disse que o ocorrido no pleito no Brasil faz parte de uma tendência de “retrocesso” nas democracias liberais “no mundo todo”.

Para o comissário europeu, Bolsonaro é um “democrata não liberal” porque foi eleito nas urnas. Segundo ele, o que está por trás da vitória é um cansaço pelos efeitos da crise e, em particular, pelo agravamento das desigualdades, afirmou o político socialista francês, que fez um pedido aos democratas “sinceros”.

“É preciso arregaçar as mangas e atacar as desigualdades que causam prejuízo ao povo e o conduz a apostas que depois são perigosas.”

Jornal Midiamax