Mundo

Morre Paul Allen, cofundador da Microsoft, aos 65 anos

Paul Allen, cofundador da Microsoft, morreu nesta segunda-feira (15), nos Estados Unidos, aos 65 anos. Há duas semanas ele tinha anunciado, no Twitter, que tornava a lutar contra um linfoma não-Hodgkin, um tipo de câncer. Allen ajudou a fundar a Microsoft em 1975 com Bill Gates e renunciou de função executiva na empresa em 1983, quando foi diagnosticado […]

Clayton Neves Publicado em 15/10/2018, às 19h31

Foto: Matthew Emmons/Reuters
Foto: Matthew Emmons/Reuters - Foto: Matthew Emmons/Reuters

Paul Allen, cofundador da Microsoft, morreu nesta segunda-feira (15), nos Estados Unidos, aos 65 anos. Há duas semanas ele tinha anunciado, no Twitter, que tornava a lutar contra um linfoma não-Hodgkin, um tipo de câncer.

Allen ajudou a fundar a Microsoft em 1975 com Bill Gates e renunciou de função executiva na empresa em 1983, quando foi diagnosticado com câncer pela primeira vez e fez um tratamento bem sucedido.

Em 1986, ele criou uma empresa chamada Vulcan, para investir em projetos filantrópicos e estudos em diversas áreas. Uma das pessoas mais ricas do mundo, Allen já tinha afirmado que deixaria a maior parte de sua fortuna para caridade.

“Como cofundador da Microsoft, à sua maneira quieta e persistente, ele criou produtos, experiências e instituições mágicos e, ao fazer isso, mudou o mundo”, disse a presidente da Microsoft, Satya Nadella, no Twitter, nesta segunda.

Em 2013, Allen e Bill Gates recriaram a foto clássica em que aparecem rodeados de computadores, de 1983, ano em que licenciaram o sistema MS-DOS para a IBM. Eles refizeram a pose durante visita de Gates ao museu Computer Living, fundado por Allen em Seattle.

Nova batalha

Em 2009, Allen anunciou que estava tratando de um novo câncer, agora um linfoma não-Hodgkin, que se origina no sistema linfático, que é a rede do corpo para o combate de doenças. É uma doença muito mais comum, mas diferente do linfoma de Hodgkin, contra o qual tinha lutado nos anos 80.

No último dia 1º, Allen postou em seu perfil no Twitter que o câncer tinha voltado.

“Soube recentemente que o linfoma não-Hodgkin que eu combati em 2009 retornou. Comecei o tratamento e meus médicos estão otimistas de que teremos um bom resultado. Agradeço o apoio que tenho recebido e conto com ele enquanto luto contra este desafio”, escreveu.

Do espaço aos esportes

Um dos projetos mais recentes de Allen é o Strato­launch, que pretende ser o avião com a maior envergadura já criado e substituir os ônibus espaciais.

Por meio da Vulcan, o bilionário também investia em equipes esportivas: o Seattle Seahawks American, de futebol americano, o time de basquete Portland Trailblazers, e o Seattle Sounders, de futebol.

“Meu irmão foi um sujeito incrível em todos os níveis. Enquanto a maioria conhecia Paul Allen como um especialista em tecnologia e filantropo, para nós, ele era um irmão e tio amado, e um amigo excepcional”, disse a irmã Jody, cofundadora da Vulcan.

Jornal Midiamax