Mundo

Arqueólogos abrem sarcófago de 2 mil anos e encontram três múmias

Arqueólogos abriram nessa quinta-feira (19) o maior sarcófago descoberto na cidade de Alexandria, no Egito. Em seu interior, os pesquisadores encontraram três múmias em decomposição e muita água, que pode ser esgoto. Ao anunciar a descoberta, Mostafa Waziry, líder do Ministério das Antiguidades Egípcias brincou dizendo que os cientistas não foram atingidos por nenhuma maldição […]

Tábata Rauschkolb Publicado em 20/07/2018, às 12h47 - Atualizado às 12h48

Múmias encontradas no interior do sarcófago (Foto: Egyptian Ministry of Antiquites)
Múmias encontradas no interior do sarcófago (Foto: Egyptian Ministry of Antiquites) - Múmias encontradas no interior do sarcófago (Foto: Egyptian Ministry of Antiquites)

Arqueólogos abriram nessa quinta-feira (19) o maior sarcófago descoberto na cidade de Alexandria, no Egito. Em seu interior, os pesquisadores encontraram três múmias em decomposição e muita água, que pode ser esgoto.

Ao anunciar a descoberta, Mostafa Waziry, líder do Ministério das Antiguidades Egípcias brincou dizendo que os cientistas não foram atingidos por nenhuma maldição ao abrirem a tumba.

O sarcófago tem 2 mil anos e é todo feito em granito negro, o que gerou especulações de que seria a tumba de Alexandre, o Grande. Suspeita que não foi confirmada pelas equipes.

O Ministério de Antiguidades  divulgou através de sua página no Facebook imagens do momento da abertura e das descobertas. O órgão também informou que foram encontrados vestígio de golpes de flecha com o crânio de um dos esqueletos, o que pode ser um indício da causa da morte.

As ossadas foram encaminhadas para o Museu Nacional de Alexandria, onde serão analisadas para determinar o período de vida, a causa das mortes e iniciar o trabalho de restauração.

توجه الدكتور مصطفي وزيري الأمين العام للمجلس الاعلي للاثار علي رأس لجنة اثرية علمية الي مدينة الاسكندرية لفتح التابوت…

Posted by ‎Ministry of Antiquities وزارة الآثار‎ on Thursday, July 19, 2018

Jornal Midiamax