Mundo

Equipe de MS ajuda nas buscas do submarino argentino desaparecido

18 tripulantes estão a serviço na operação

Tatiana Marin Publicado em 22/11/2017, às 18h17

None

18 tripulantes estão a serviço na operação

A aeronave SC-105 Amazonas SAR, que faz parte do Esquadrão Pelicano integra as operações de busca do submarino argentino ARA San Juan, desaparecido desde o dia 15, com 44 tripulantes. No sábado (18), o equipamento fez seu primeiro voo pela operação de buscas que é coordenada pela Marinha da Argentina.

De acordo com informações da Base Aérea de Campo Grande, 18 militares compõe a tripulação da SC 105. Em entrevista para a rádio da FAB, o Comandante do Comae (Comando de Operações Aeroespaciais), Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino, disse que a aeronave é a mais moderna e equipada em busca e salvamento da FAB e tem 8 horas de autonomia de voo.

Segundo a FAB (Força Aérea Brasileira), além do voo realizado no sábado, a SC-105 decolou também nesta segunda-feira (20), às 11h35 (horário de Brasília) do Aeroporto Comandante Espora, na Bahia Blanca, na busca pelo Submarino ARA San Juan.

Equipe de MS ajuda nas buscas do submarino argentino desaparecido

O comandante do Comae explica que cada país e estado mantém serviços de busca e salvamento que podem ser chamados por outros países, como acontece no caso do submarino desaparecido.

Além do Esquadrão Pelicano, outra equipe brasileira também está auxiliando nas buscas. A P-3AM Orion, do Esquadrão Orungan, sediado em Salvador (BA), fez seu primeiro voo nesta terça-feira (21) .

Esquadrão Pelicano

O Esquadrão Pelicano é um dos mais antigos da FAB voltados para a missão de busca e salvamento no Brasil e completou 60 anos em 2017. Segundo o Major Aviador Leonardo Machado Guimarães, Chefe do Setor de Operações do 2º/10º GAV, apenas em 2016 o esquadrão realizou 14 missões de busca.

O esquadrão trabalha também em evacuações aeromédicas, atendimentos a calamidades públicas, ajuda humanitária, sem falar de atividades envolvendo helicópteros, resgate e tantas outras. “Se fizer um levantamento histórico, são mais de 600 missões apenas de buscas. Com certeza este número é bem maior. O esquadrão esteve envolvido em praticamente todas as que tiveram vulto no País”, explica.

O grupamento esteve envolvido, por exemplo, nos trabalhos realizados na queda do voo 254 da Varig, em 1989; do voo 1907 da Gol, em 2006; e do voo da Air France, em 2009.​

Submarino desaparecido

O submarino ARA San Juan está desaparecido desde o dia 15, com 44 tripulantes. Em sua última comunicação, o capitão informou que a embarcação estava com problemas de bateria e que havia apresentado um “curto-circuito”, conforme publicado pela BBC. O submarino e pode estar tanto na superfície quanto submersa, com ou sem propulsão. 

Na segunda-feira, dia 13 de novemtro, o submarino deixou Ushuaia, na Patagônia, e faria trajeto até à base naval de Mar del Plata, ao norte. Na quarta-feira (15), quando fez o último contato, estava a 432 km do ponto de partida da viagem.

A embarcação tinha provisões de oxigênio e comida para a tripulação para 15 dias, entretanto . Segundo ele, a embarcação tinha provisões para 15 dias. Entretanto a tripulação pode estar passando por dificuldades, pois, segundo a Marinha da Argentina, a quantidade de oxigênio já pode ter entrado em nível crítico. 

Matéria editada ás 15:21 para adição de informações.

Jornal Midiamax