Mundo

WikiLeaks: Justiça sueca mantém mandado contra Assange

Ele é acusado de manter relação sem preservativo, crime na Suécia

Norberto Liberator Publicado em 16/09/2016, às 13h10

None
assange.jpg

Ele é acusado de manter relação sem preservativo, crime na Suécia

Fundador do WikiLeaks, o jornalista australiano Julian Assange teve seu mandado de prisão – emitido em 2010 – mantido pela Justiça sueca, nesta sexta-feira (16), por acusação de abuso sexual.

Assange teria mantido relação sem preservativo depois de a camisinha estourar, o que na Suécia equivale a estupro.

O jornal português Diário de Notícias afirma que o Tribunal da Relação, que julga crimes sexuais na Suécia, emitiu documento em que “rejeita o pedido de levantamento do mandato de detenção".

Segundo a Justiça de Estocolmo, Assange "se mantém como suspeito de violação" e que "existe um risco de fuga à justiça ou a uma condenação".

De acordo com a rede francesa Euronews, o jornalista e sua defesa tentam evitar uma extradição para os Estados Unidos, onde ele poderia ser julgado pelos documentos oficiais divulgados no WikiLeaks. Assange está asilado na embaixada equatoriana em Londres.

Jornal Midiamax