Mundo

Trump promete deportar três milhões de imigrantes ilegais

Declaração do Presidente eleito em entrevista à CBS

Wendy Tonhati Publicado em 13/11/2016, às 17h43

None
1088074.jpg

Declaração do Presidente eleito em entrevista à CBS

Donald Trump está preparado para expulsar imediatamente dos Estados Unidos dois a três milhões de imigrantes sem documentos. A revelação foi feita pelo Presidente eleito dos EUA, numa entrevista que vai ser emitida neste domingo pela CBS News.

O Presidente-eleito norte-americano diz ainda que o muro que pretende construir na fronteira com o México pode ser parcialmente uma vedação, como foi sugerido por alguns congressistas republicanos. "Em algumas áreas sim, mas noutras é mais apropriado construir um muro", afirmou Trump, ao programa 60 Minutes. "Sou bom nesta área, chama-se construção", disse o empresário do sector do imobiliário e construção civil, citado pela CBS News.

No entanto, Newt Gingrich, o antigo speaker republicano da Câmara dos Representantes e agora próximo de Donald Trump, citado como um dos nomes possíveis para ocupar o posto de secretário de Estado, sugeriu que o muro não seria pago pelo México. Essa ideia foi uma "super ferramenta de campanha", disse.

Trump chegou a ameaçar taxar as remessas dos imigrantes mexicanos, o dinheiro que mandam para casa, para financiar a construção do muro entre os EUA e o México para controlar a imigração.

Quanto aos cerca de 11 milhões de migrantes que vivem nos Estados Unidos sem documentos de residência legais – e que foram parte central da sua campanha para a presidência – prometeu agir rapidamente contra os que tiverem cadastro, contra os "bad hombres".

"O que vamos fazer é apanhar as que tenham registo criminal, os membros de gangues, os traficantes de droga. Provavelmente dois milhões, podem ser até três milhões, destas pessoas vão ser deportadas, ou presas", afirmou. "Vamos tirá-las do nosso país, estão cá ilegalmente", prometeu.

"Depois de a fronteira ficar segura", disse, "os serviços de imigração vão começar a determinar" o que fazer com os restantes imigrantes sem documentos que estão nos EUA. "É muito importante, vamos garantir a segurança da nossa fronteira."

Jornal Midiamax