Mundo

Mulher finge ser parente de morto em tragédia para ganhar viagens de graça

Ela foi condenada a prisão por um ano

Joaquim Padilha Publicado em 27/10/2016, às 13h10

None
mulher_germanwings.jpg

Ela foi condenada a prisão por um ano

Para obter viagens de graça como compensação, uma mulher de 35 anos fingiu ser prima de uma das vítimas do voo da Germanwings, que foi derrubado pelo co-piloto da aeronave deliberadamente nos Alpes franceses, em março de 2015, matando 150 pessoas.

Com a tragédia, parentes das vítimas passaram a usufruir de viagens e estadias gratuitas oferecidas pela Germanwings, incluindo a mulher de 35 anos. Pela falsa identifdade, ela foi condenada a um ano de prisão com pena suspensa, por um tribunal alemão.

A mulher chegou a visitar a França duas vezes, levando filhos e amigos. Em Marselha, cidade francesa, ela ficou em um hotel de luxo, onde causou prejuízdos de R$ 15 mil em diárias e serviços à empresa Lufthansa, que detém a companhia aérea Germanwings.

A prisão da mulher pode ser revertida, uma vez que ela ainda não compareceu ao tribunal e tem direito de solicitar uma nova audiência, de acordo com a agência AFP.

A queda do avião da Germanwings, em 2015, teve como responsável pelo acidente o co-piloto Andreas Lubitz, segundo as investigações. Lubitz vinha sofrendo com depressão psicótica três meses antes de ter provocado o acidente.

(Sob supervisão de Evelin Araujo)

Jornal Midiamax