Mundo

Em aniversário de massacre, Texas autoriza entrada de armas em universidades

Medida entra em vigor 50 anos após aluno matar 14 e ferir 31

Norberto Liberator Publicado em 02/08/2016, às 11h46

None
tex.jpg

Medida entra em vigor 50 anos após aluno matar 14 e ferir 31

As universidades públicas no Texas, no sul dos Estados Unidos, passaram a permitir a livre circulação de estudantes, professores e demais funcionários armados. Instituições de ensino superior privadas podem escolher se aderem ou não à lei.

A nova regra estadual, que entrou em vigor nesta segunda-feira (1º), teve uma data “irônica” para ser iniciada, afirma a reportagem da CBS. As normas variam de acordo com cada instituição, sendo que algumas permitirão o acesso livre em “zonas de exclusão”.

A lei havia sido aprovada em fevereiro, mas passa a valer a partir deste mês. Na época da aprovação, o reitor da Universidade do Texas, William McRaven, disse à agência Efe que a medida é um erro. Ele destacou que a presença de armas contrasta com o espírito da educação.

"As armas não têm lugar em uma instituição de ensino superior cuja missão investigativa e educativa se baseia no debate e na liberdade de expressão”, disse MacRave, que é militar de reserva comandou a operação que resultou na morte de Osama Bin Laden.

Aniversário de massacre

A rede norte-americana CBS destaca que a lei, conhecida como "campus carry”, entra em vigor exatamente no aniversário de 50 anos do massacre na Universidade do Texas, um dos maiores da história dos Estados Unidos e o mais emblemático do Texas.

Em 1966, o ex-major da Marinha e engenheiro-arquiteto Charles Whitman, formado pela Universidade do Texas, em Austin, entrou na instituição onde estudou e disparou contra dezenas de pessoas por cerca de 90 minutos consecutivos, até ser morto pela polícia. Além de Whitman, 14 pessoas morreram e outras 31 ficaram feridas.

Jornal Midiamax